Nesta sexta-feira, 04, começaram a circular trechos de um documentário sobre #Animais do National Geographic. Uma briga violenta envolvendo dois seres fofos fazia parte do material divulgado à imprensa e acabou viralizando em sites como o Facebook. Nas imagens, dois pinguins machos brigam por uma fêmea. O motivo não poderia ser diferente. Apenas ciúmes. O confronto sangrento pode ser visto no site do canal que exibe a vida natural. Na produção divulgada até agora, um pinguim, após passar um  dia cansativo de "trabalho" nas águas geladas. No entanto, ao retornar para o lar doce lar, ele encontrou sua "esposa" com um amante. A parceira parecia não incomodada com o fato de ter traído o seu companheiro. 

As cenas foram gravadas no mês de outubro, quando acontece a reprodução dos pinguins.

Publicidade
Publicidade

O canal National Geographic explica que mais de três quartos dos animais fazem o acasalamento com o mesmo parceiro durante toda a sua existência, mas que isso não é bem uma exigência. A explicação foi dada pela jornalista Delaney Chambers, acostumada a acompanhar esses bichos por muitos anos. A fêmea, segundo ela, geralmente, apenas aceita transar com outro macho, quando o seu companheiro falece. Um caso de traição, como o mostrado pelo documentário, é extremamente raro, o que explica a irritação do parceiro, que quase morreu para defender sua "honra". 

O macho chega ao ninho e percebe que lá a outro "homem", já totalmente acomodado onde ele costuma passar os dias com sua pinguim fêmea. Não demora muito para que os dois comecem a brigar muito. Para bater no outro, eles usam diversas partes do  corpo, como as asas, mas é com o bico, é claro, que eles acabam fazendo o maior estrago.

Publicidade

O que se vê é muito sangue, que se evidencia ainda mais em regiões de gelo. 

Os ossos dessas aves, diferente das demais, não são ocos e sim sólidos, o que faz com que eles sejam ainda mais fortes. O bico é usado no dia a dia para fazer escavações, que podem ser usadas para guardar os ovos das fêmeas, por exemplo. A jornalista do canal explica que o fato dos pinguins terem asas, mas não usarem, deixa elas ainda mais fortes.