De acordo com o professor Paul D Miller, da Universidade de Defesa Nacional, em Washington D.C, a Terceira Guerra Mundial terá início na península Balcânica, quando o presidente russo Vladimir Putin, tentar anexar a Letônia ou a Estônia - países membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN).

Segundo o especialista, que previu a invasão da Crimeia em 2014, quando a Rússia dominar essas pequenas nações, os Estados Unidos e demais membros da OTAN terão de defender a região, pois um ataque a qualquer associado a ela, significa um atentado a todos os países da organização.

Como exemplo dessa obrigatoriedade, ele cita o artigo 5 do tratado.

Publicidade
Publicidade

Nele, é especificado que todos os membros da entidade, formado por 28 países, são obrigados a socorrer qualquer nação aliada que esteja sob ameaça. Neste contexto, a Terceira Guerra Mundial estaria em curso.

De acordo com o periódico britânico The Sun, de terça-feira (22), o estrategista avalia que o método do Kremlin para conquistar esses países, será por meio de agitação civil, proliferada pelos russos étnicos, que somam 25% da população.

Ele acredita que essas pessoas, tanto na Letônia, quanto na Estônia, incitarão tumultos, onde reivindicarão supostos direitos negados. Miller chama esse método de ‘guerra híbrida’.

Nessa situação, os ‘infiltrados’ solicitarão proteção internacional, fazendo com que os homens da 'Frente Popular para a Libertação do Báltico russo’, que são armados e treinados pelo Kremlin, sejam ativados para proteger ‘as vítimas’.

Publicidade

Na sequência, o americano observa que a Rússia irá intervir sob o pretexto de resolver o conflito que ela mesmo criou.

A partir desta sequência de acontecimentos, a 3ª Guerra Mundial terá início, pois Putin usará o poder de veto na Organização das Nações Unidas (#ONU) para bloquear a intervenção de uma força de paz internacional, na região balcânica - a hipotética medida levará a OTAN a enfrentar os interesses russos naquela área.

Conforme o jornalista Patrick Knox (The Sun), hoje mesmo, Putin disse à agência de notícias RIA, que tomará medidas para evitar a expansão da organização na região. "Por que estamos reagindo a expansão da OTAN tão emocionalmente? Estamos preocupados com a tomada de decisões da OTAN", disse Putin.

Paul D Miller também atuou como diretor do Conselho de Segurança Nacional dos presidentes Bush e Obama, para assuntos do Afeganistão.

Atualmente, trabalha como professor assistente de Assuntos de Segurança Internacional na Universidade de Defesa Nacional, e é diretor do programa de Afeganistão-Paquistão na Faculdade de Assuntos de Segurança Internacional.

Ao que tudo indica, ‘tempos conturbados espreitam logo à frente’. Salve-se quem puder! #Mídia #Curiosidades