Sienna Duffield, de três anos, parece finalmente recuperada, depois de meses lutando contra uma terrível infeção. A menina ficou com seu rosto coberto de feridas e pus, e passava o tempo se coçando, com uma condição que os médicos chegaram a pensar ser crônica. No entanto, o pesadelo parece ter passado e, oito meses depois de ser diagnosticada com herpes, e de tomar vários antibiôticos, a menina estaria finalmente recuperada. A #Família acredita que essa doença não voltará, mas alerta outros pais para que não deixem isso acontecer com seus filhos.

Tudo teria começado quando a criança recebeu um beijo de um familiar, com #Herpes, durante a festinha de seu segundo aniversário.

Publicidade
Publicidade

Pouco depois, começaram os sintomas. Primeiro na boca, mas depois as feridas foram se espalhando por todo o rosto, especialmente, nas zonas mais sensíveis de sua pele. Com uma grande zona de vermelhidão, a menina sofria com dores e coceira. De tal modo que chegou mesmo a deixar de comer, no pior momento de sua doença.

No hospital, os médicos começaram pensando que seria eczema, mas, mais tarde, a herpes ficou revelada, bem como sua causa. A menina foi tratada, durante oito meses, com antibióticos e cremes, que pareciam não resultar. Finalmente, agora, as feridas estão desaparecendo e a menina está já curada, depois de esse vírus ter dificultado sua vida, recentemente.

A mãe está feliz com a recuperação da menina e já está notando grandes diferenças na vida de sua família. Eles que,recentemente, sofriam para evitar que a menina continuasse coçando seu rosto, apesar de ela tentar o tempo todo contrariar isso.

Publicidade

O lençol, na cama da menina, tinha que ser trocado todo o dia, depois de ficar manchado com sangue. Também várias roupas terminaram no lixo, depois de ficarem com manchas.

Na rua, a mãe enfrentava os olhares de outras pessoas, meios enojados, com o aspeto da pele de Sienna. Agora, com tudo isso fazendo parte do passado, os pais da menina pedem muito cuidado com esses beijos de familiares, que podem causar terríveis infeções. Especialmente, quando as crianças são ainda tão pequenas e não têm grandes defesas para essas doenças. #Bebês