Segundo informações, o satélite LES1 foi lançado pela Nasa, em meados de 1965. Na época, o #satélite foi desenvolvido pelo Instituto Tecnológico de Massachussets, para ser utilizado na área das comunicações e estava entre um os nove satélites que seriam testados para um projeto que envolvia uma série do LES1 ao LES9. O maior problema do LES1 é que ele nunca chegou ao seu destino final. Na época, foi utilizado por dois anos, e, após isso, foi abandonado para sempre, onde acabou vagando pelo espaço como um lixo espacial.

De acordo com informações, o primeiro lançamento de um satélite artificial, ocorreu no dia 4 de outubro de 1957.

Publicidade
Publicidade

Na ocasião, o satélite denominado Sputanik1 foi lançado pelos soviéticos com objetivo de transmitir sinais de rádio ''beep''. Na época, o sinal poderia ser sintonizado com os rádios amadores nas frequências 20,005 e 40,002 MHz.

O sinal pode ser captado até o dia 26 de outubro de 1957, quando as baterias do satélite esgotaram suas energias. Hoje em dia, existem mais de 4 mil satélites circulando ao da Terra. Sendo que, a grande maioria está desativada e seguem percorrendo a órbita da Terra, a uma velocidade de 36.000Km/h.

Após quatro décadas vagando pelo espaço, em 2013, um astrônomo inglês teria captado um sinal muito estranho que estava sendo transmitido pelo LES1. Na ocasião, ele fez questão de notificar o MIT sobre o assunto. Na sequência, os pesquisadores do MIT acabaram confirmando de que o satélite teria retornado a ativa.

Publicidade

Os pesquisadores acreditam que o satélite tenha voltado à ativa devido a seus painéis solares que, de alguma forma, foram carregados pela luz solar.

Uma vez que o satélite tinha painéis solares capazes de captar a luz solar. Mesmo que as baterias do LES1, tenham sido danificadas durante o lançamento. A hipótese mais aceita é a de que esses painéis sejam carregados pela luz solar. Na sequência, as mensagens são enviadas em direção à Terra.

De acordo com os pesquisadores da NASA, a descoberta comprova que nem toda tecnologia antiga não pode ser descartada. Descobertas iguais a estas também comprovam, que o lixo espacial pode durar por vários anos em lugares considerados inapropriados, ou seja, a atual tecnologia caminha para o lado certo com a construção de novos satélites e naves espaciais.

#Entretenimento #Curiosidades