Mais uma noite de protesto nos Estados Unidos reúne jovens segurando cartazes e afirmando que o mandato de #Trump agravaria as divisões sociais de raças e gêneros. Em resposta, Trump tweetou que tais manifestações era “muito injustas”.

Mais cedo, em um encontro com o atual presidente Barack Obama, Trump se descreveu como sendo um bom homem. Entretanto um correspondente da BBC afirmou que apesar da cordialidade, Trump tem a intenção de desmantelar muito do legado já deixado por Obama. Isso inclui o Obamacare, política de assistência medica que garantiu a maior abrangência à cidadãos americanos jamais vista na historia – o programa é comparado ao SUS brasileiro.

Publicidade
Publicidade

Protestantes se reuniram em cidades incluindo Philadelphia, Baltimore, Portland, Dallas e Grand Rapids – Michigan na noite desta quinta-feira (10). Na Philadelphia, a multidão se reuniu próximo à prefeitura da cidade segurando cartazes com frases escritas do tipo “Não é nosso presidente”, “Trans contra Trump” e “Faça a América segura para todos”.

Em Baltimore, a polícia relatou que uma multidão de 600 pessoas marchou pacificamente pela cidade, bloqueando o tráfego. Protestantes em Minneapolis bloquearam por curto período de tempo a rodovia interestadual nas duas direções. Em São Francisco, estudantes do ensino médio acenaram bandeiras com as cores do arco-íris juntamente com bandeiras mexicanas.

Uma pequena multidão também se reuniu do lado de fora do Trump Tower em Chicago, um dia após milhares marcharem pelas ruas do centro da cidade.

Publicidade

Alguns transeuntes os encorajaram, porém, um motorista que passava na hora gritou “calem a boca e aceitem a democracia”, relatou a agência de notícias Associated Press. Os protestantes retornaram ao Trump Tower em Nova York pela segunda noite.

Em seu tweet Trump os descreveu como “manifestantes profissionais” e disse também que foram “incitados pela mídia”.

Enquanto isso, o presidente do #México disse estar otimista em relação ao seu país ter uma boa relação com os Estados Unidos no governo Trump, apesar da retórica anti-México adotada pelo bilionário durante sua campanha.

Enrique Pena Nieto disse que ele e Trump concordaram em fazer uma reunião, possivelmente durante o período de transição antes de Donald Trump assumir o mandato. #Eleições