Menos de um mês após o terremoto de 6,2 graus de magnitude, que atingiu a costa sudoeste do Japão, em 21 de outubro, novamente a terra voltou a tremer. Dessa vez, na Nova Zelândia.

De acordo com o primeiro-ministro John Key, o forte terremoto de 7,8 graus de magnitude, sentido logo após a meia-noite deste domingo, 13, aconteceu em uma área rural próximo à cidade de Christchurch. Até o momento, duas pessoas morreram em decorrência do fenômeno.

O intenso abalo sísmico, percebido a mais de 193 quilômetros da capital do país, Wellington, fez os serviços de emergência alertarem os moradores da região litorânea para que procurassem refúgio em territórios elevados, afim de evitarem as consequências de um tsunami - que pode atingir a costa leste nas próximas horas.

Publicidade
Publicidade

De acordo com a emissora Fox News, os danos ocasionados pela intensa oscilação ainda são avaliados. O primeiro-ministro confessa a possibilidade de haver mais mortos.

Embora tenha acontecido a mais de 193 km de Wellington, o tremor foi sentido com intensidade naquela localidade.

Segundo moradores, o solo do município oscilou por três minutos. Após o primeiro terremoto, tremores subsequentes abalaram as estruturas da capital neozelandesa.

A Fox News ainda acrescentou que autoridades da cidade solicitaram às pessoas para que ficassem em casa, nessa segunda-feira (domingo para nós). Danos estruturais em grandes edifícios da capital também foram identificados.

Além de outras estruturas (balsa e rede ferroviária) serem interditadas, o Ministério de Defesa Civil e a Gestão de Emergências da Nova Zelândia, alertaram os habitantes da costa leste do país, para que procurassem refúgio em áreas elevadas, pois existe a real possibilidade de ondas gigantes atingirem o litoral em poucas horas (veja a postagem original abaixo)

Confusão sobre os tsunamis

O Ministério de Defesa, logo depois do tremor, divulgou uma mensagem no Twitter, onde descartou a chance de tsunamis atingir o litoral da Nova Zelândia.

Publicidade

Contudo, pouco tempo depois mudou de opinião, e escreveu no microblog que “a situação mudou – tsunami é possível”.

Em seguida, avisou que os habitantes do litoral, próximos ao epicentro, poderiam ser atingidos por ondas entre 10 e 16 pés de altura (3 e 4,8 metros).

O Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, sigla em inglês), disse que o tremor aconteceu a uma profundidade de 14 milhas (22,5 km).

Último grande terremoto

Antes desse abalo sísmico, um tremor de 6,3 de magnitude, em 2011, destruiu parte do centro da capital neozelandesa, matando 185 pessoas.

Ainda que o terremoto anterior tenha sido inferior ao de domingo, ele foi mais destrutivo, pois ocorreu mais próximo à superfície.

À época, os danos gerados foram contabilizados em 24 bilhões de dólares. A Nova Zelândia está situada no “Anel de Fogo do Pacífico”, onde ocorrências de terremotos e atividades vulcânicas são frequentes.

Abaixo, veja dois vídeos do evento, captados por residentes do país.

#Mídia #Curiosidades #Internet