De acordo com informações do site Daily Mail, do Reino Unido, o #Terremoto que atingiu a Nova Zelândia na madrugada da última segunda-feira (14) foi tão intenso que fez o fundo do mar na costa da cidade de Kaikoura, na Ilha Sul do país, subir cerca de dois metros.

O tremor inicial, com seu epicentro ao norte Christchurch, atingiu uma magnitude de 7,8 pontos na escala Richter. Nesta escala, que é usada para quantificar a energia liberada durante um abalo sísmico, o terremoto que atingiu o território neozelandês é considerado grande.

Segundo o Daily Mail, cientistas estão perplexos por causa da subida do solo oceânico, ao ponto em que alegam nunca ter visto nada semelhante.

Publicidade
Publicidade

Imagens divulgadas revelam que rochas que antes estavam submersas, cobertas de vida marinha, foram empurradas para cima da linha da água.

Além do levantamento do solo oceânico, a cidade de pescadores de Kaikoura – popular por ser um local propício para observação de baleias, em função de suas montanhas íngremes – também foi atingida por deslizamentos de terra que cobriram a sua estrada costeira, e o deslocamento do solo inutilizou a malha ferroviária.

O terremoto também causou estragos em casas, estradas, e em outras áreas montanhosas do país. Além da destruição intensa, duas pessoas acabaram morrendo em Christchurch, e desde que o tremor aconteceu, mais de mil turistas e residentes neozelandeses foram resgatados por helicópteros e por um navio.

Tremores subsequentes e condições climáticas ruins

Depois do tremor inicial, seguiram-se mais dois terremotos que atingiram as magnitudes de 6,3 (em Cheviot) e 5,8 (na costa sul da Nova Zelândia), respectivamente.

Publicidade

Adicionalmente, geofísicos especializados em sismologia já registraram cerca de dois mil abalos de menor intensidade no país.

Para piorar a situação, chuva intensa e ventos fortes atingiram o centro da Nova Zelândia nesta quinta-feira (17), ameaçando causar ainda mais danos, e interrompendo o resgate de pessoas que ainda estão isoladas.

De acordo com o Daily Mail, a diretora do Ministério de Defesa Civil e Gestão de Emergência, Sarah Stuart-Black, declarou a repórteres que o governo neozelandês está muito preocupado com a mudança da situação climática, visto que o mau tempo pode provocar inundações e novos deslizamentos de terra.

Veja algumas imagens da devastação:

#Natureza