Os terremotos ou sismos geológicos são considerados com um dos fenômenos naturais mais temidos pelo homem, onde muitas vezes podem significar conseqüências trágicas para determinada região, com a perda do bem mais precioso de todos, que é a própria vida. E foi exatamente isso que se sucedeu no domingo do dia 13 de novembro pela manhã, na distante Nova Zelândia, conjunto de ilhas localizada no Oceano Pacífico.

O tremor teve como epicentro a área situada 53 km a nordeste da cidade de nome Amberley e a aproximadamente 93 km de uma outra cidade mais conhecida no exterior do país que é Christchurch. O Ministério da Defesa Civil e Gerenciamento de Emergências neozelandês esclareceu que o #Terremoto aconteceu a uma distância de cerca de 10 km de profundidade da superfície e sobretudo, aconselhou que os moradores daquelas localidades, mais do que rápido, possam se dirigir para regiões mais elevadas, pois nesse momento a grande preocupação é o perigo mortal de que ocorram poderosos “tsunamis”, atingindo a região costeira do país próxima ao tremor.

Publicidade
Publicidade

Já foi registrado após o terremoto do domingo pela manhã, um #tsunami de dois metros de altura, levando todos a crer que outras fortes ondas poderão em questão de pouquíssimo tempo alcançar locais bastante povoados, localizados entre Marlborough, na parte norte da Ilha do Sul, e também a península de Banks, sendo que essa última está na costa leste da Nova Zelândia.

Tanto é assim que as autoridades responsáveis por impedir o caos, emitiram o aviso de urgência e atenção da população em relação as grandes ondas que podem atingir toda a região costeira do país insular. Foram registrados depois do terremoto mais intenso, mais treze outros abalos denominados de secundários, sendo que um deles teve a intensidade de 6,5 graus na escala Richter.

Publicidade

Inúmeras habitações fundadas em Cheviot, que é uma cidade pertencente Canterbury, mais especificamente na ilha do Sul, sofreram fortes danos pelo sismo da manhã, conforme notícias veiculadas pelo jornal local, “New Zealand Herald”. ​

Desafortunadamente, como que para piorar a situação, o território da Nova Zelândia está localizado no conhecido Anel de Fogo do Pacífico ou uma área repleta de muitos vulcões e com falhas geológicas extensas de 40.000 km de comprimento; sendo que, 90% dos terremotos no planeta se dão justamente nessa parte do globo #Tragédia