Na Alemanha, o mais desenvolvido dos países europeus, também acontecem golpes contra a boa fé alheia. Em 21 junho deste ano, um farsante se fingiu de vítima numa via expressa e ficou caído na calçada que margeia a pista.

O homem deitado, aparentemente machucado ou desmaiado, acabou chamando a atenção de um casal, que resolveu parar o carro para ajudá-lo. O que acontece depois é revoltante. Tudo foi gravado por um cinegrafista amador a alguns metros de distância.

O vídeo foi divulgado na época com significativa repercussão. Os motivos pelo interesse pelas imagens, visualizadas por milhares de alemães, são as cenas que mostram o que aconteceu depois que Uwe M.

Publicidade
Publicidade

de 54 anos e sua esposa, Anke, de 44, resolveram prestar socorro à suposta vítima.

Depois de levantar de onde estava e demonstrar que estava se recuperando do problema que fingiu, o homem passa a conversar com p casal. Nessa altura ele fica encostado no veículo próximo à porta do motorista. É nítido que ele já ganhou a confiança dos dois e se prepara para dar o bote. Quando viu que tinha condições, aproveitou um momento de distração da alemã e entrou correndo no veículo. A chave tinha sido deixada na ignição, o que facilitou o trabalho do larápio.

O casal bem que tentou impedir que ele desse a partida, mas o criminoso conseguiu arrancar com o carro, causando inclusive a queda dos proprietários do veículo.

Mas o criminoso não pode ir muito longe. Um pouco mais tarde a polícia local conseguiu prendê-lo, após ele se envolver em um acidente com o carro das vítimas.

Publicidade

Ele capotou com veículo, que ficou totalmente destruído. Na abordagem policial, o homem ainda tentou resistir à prisão de forma violenta.

Nesses cinco meses, o ladrão ficou sob custódia e, nesta sexta-feira (11), foi julgado diante do Tribunal alemão. Diante do juiz, o réu alegou que tinha tido alucinações e paranoias e que tentou se matar, por isso fez o que fez.

A Justiça não aliviou e o sentenciou a três anos e meio de prisão. Uwe e Anke disseram à imprensa que ficaram traumatizados após tudo o que aconteceu.

#Crime #Casos de polícia #Mundo