Digna de roteiro de cinema. A história captada pela emissora inglesa BBC emocionou vários países ao mostrar um soldado iraquiano reencontrando a mãe, que desaparecera após a invasão do Estado Islâmico.

Eles não se viam havia dois anos. Durante a operação que tenta reconquistar o município de Mossul, Saad, um combatente que vivia no local, conseguiu encontrar a mãe em um ônibus dentre vários que levavam refugiados em comboio para longe dos conflitos.

As cenas foram filmadas pela BBC e mostram a intensa procura do soldado. Ele entrou em vários ônibus em busca de notícias da genitora. Ele havia recebido a informação dias antes de que havia chances de sua mãe estar partindo.

Publicidade
Publicidade

Depois de procurar em vários veículos, ele finalmente a achou e caiu no choro. A mãe também não escondeu a felicidade de revê-lo e não parava de beijá-lo. No vídeo ele não consegue falar de tanta emoção, enquanto ela afirma que daria a vida por ele.

Saad integra uma força militar de 50 mil homens que desde o dia 17 de outubro tenta reconquistar Mossul e expulsar os radicais do Estado Islâmico.

O exército conta com um grupo grande de iraquianos, além de peshmergas (curdos iraquianos), sunitas e também milicianos xiitas. Eles são apoiados por aviões militares integrantes de uma coalizão comandada pelos Estados Unidos.

O local é considerado estratégico e havia sido tomado pelos militares do Estado Islâmico em 2014. Antes de ser invadida, Mossul era um ponto de desenvolvimento comercial, econômico e cultural do país.

Publicidade

Lá também estão poços de petróleo e sua localização é favorável ao radicais por estar próxima à Síria e à Turquia.

Após dominarem a cidade, o EI conseguiu levantar bastante dinheiro para financiar seus armamentos. O objetivo de retomar o poder em Mossul é fazer com que grupo extremista fique prejudicado nas finanças e aos poucos diminua seu poder de fogo.

Vários pontos históricos da cidade, conhecida por atrair muitos turistas, foram destruídos pelo Estado Islâmico.

Espremidos entre a guerra e a desolação estão 1,5 milhão de civis. Uma parte ainda tenta escapar para campos de refugiados, como fez a mãe de Saad.

#Guerra #Mundo