Nos Estados Unidos da América, uma alegada discriminação cometida contra uma criança autista está chocando. Um menino de seis anos poderia ter sido silenciado pela própria professora. Os pais do menino, Caleb, denunciaram o caso nas redes sociais e o vídeo que mostra esse momento está se tornando viral na Internet. São milhares de reações a essa publicação, com muitas críticas a essa professora, por sua atitude com esse menino.

No Facebook, o pai de Caleb, Kent Squires compartilhou um pequeno vídeo de oito segundos, durante uma peça de teatro, na #Escola primária de West Virginia. Essa peça juntava todos os meninos durante a celebração do Dia de Ação de Graças, um feriado bem importante nos Estados Unidos da América.

Publicidade
Publicidade

Os meninos estavam passando pelo microfone, onde diziam uma pequena fala. Caleb, que tem um nível 1 de #Autismo, estava vestido de peru e era o último a dizer sua fala. Apenas as palavras "gobble gobble", para recriar o som do peru. No entanto, no momento em que o menino se aproxima do microfone, a professora aparece de costas, tirando o microfone da frente da criança, que fica desesperada.

Vídeo foi publicado no Facebook do pai:

Sem conseguir esconder suas emoções, o menino começa chorando, dizendo "Oh não", quase implorando para cumprir seu papel, tal como todos os outros meninos acabavam de fazer. Arrasado em lágrimas, o menino deixou o palco bem triste. E tristes ficaram também os seus pais, que aguardavam por esse momento, em que o seu filho deveria entrar também na peça, como tinha ensaiado e tanto desejava.

Publicidade

Um momento tão importante, que até estavam filmando.

No Facebook, Kent Squires lamentou o que fizeram com o seu menino, que estava excitado para fazer sua participação na peça. O pai destaca que o menino é autista, mas "tem um grande coração e está sempre feliz". No entanto, essa professora deixou o menino destroçado e Kent garante que esta vendo o que "pode ser feito" depois de essa alegada descriminação.

Apoio não vai faltar para esse homem, uma vez que seu vídeo tem mais de noventa mil compartilhamentos no Facebook e mais de trinta mil comentários. Brittney Farrand respondeu a esse caso, dizendo que também ela é professora mas que o lugar de essa mulher "não é em uma sala de aula", defendendo que ela merece ser despedida.

Assista ao vídeo completo:

#crianças