Um avião militar russo caiu no mar Negro com 92 pessoas a bordo, o voo partiu de Sochi e depois de 20 minutos parou de manter contato com as torres de controle. Eram 84 passageiros, 8 tripulantes e todos morreram, de acordo com as últimas informações das autoridades de Moscou. O #avião era um modelo Tupolev-155, que vinha sendo utilizado há cerca de 33 anos. Ao partir de Sochi, na Rússia, nenhum problema foi detectado e tudo parecia estar em ordem, inclusive o último voo realizado pela aeronave não apresentou nenhum tipo de problema.

No voo estavam vários militares, jornalistas e também membros do Coral do Exército que iam se apresentar às tropas em Latakia, Síria, agora na noite de ano novo.

Publicidade
Publicidade

O avião deixou se ser visto nos radares justamente no momento em que sobrevoava o Mar Negro e logo o sinal de alerta foi emitido. A 1,5 quilômetro da costa já foram encontrados vários destroços da aeronave e a 6 quilômetros da costa já estão sendo resgatados os primeiros corpos. Claro que as primeiras suspeitas do desastre aéreo caem sobre o piloto, Roman Volkov, mas ele é apontado pelos colegas como um profissional experiente, que já tinha mais de 3 mil horas de voo. As autoridades russas darão início às investigações para tentarem descobrir a causa da queda da aeronave, mas já foi descartada a possibilidade de ter sido um atentado terrorista.

Viktor Ozerov, chefe da Comissão de Defesa do Senado na Rússia, disse que a tese de um possível atentado terrorista está totalmente descartada e que o avião teria caído ainda no espaço aéreo russo.

Publicidade

Ozerov acredita que tenha sido uma falha técnica ou um erro humano, mas que somente as investigações é que irão mostrar o real motivo.

A CNN informou que no momento em que o avião desapareceu dos radares, o clima local era favorável. Assim que a aeronave desapareceu, o presidente Vladimir Putin foi informado.

O avião de 3 motores foi desenvolvido no final da década de 60 e vem sendo substituído por modelos mais modernos, porém o Exército russo ainda continua utilizando esses aviões. Vale lembrar que em 2010 um avião desse mesmo modelo caiu e matou 95 pessoas, inclusive o presidente polonês, Lech Kaczynski. #Tragédia #Acidente