Uma egípcia entrou para o livro dos recordes como sendo a #Mulher mais gorda do mundo, pesando 500 quilos. Para ela, um título que não interessa nem um pouco, pois a obesidade acabou com a sua vida. O que para qualquer um é algo simples, como pegar um copo de água, tomar banho, ir do quarto até a sala, para ela é uma verdadeira batalha.

O excesso de gordura já comprometeu vários órgãos da mulher, que estará sendo submetida a uma cirurgia para redução de estômago. A cirurgia será realizada na Índia e os médicos acreditam que esse é só o primeiro passo para salvar a vida da paciente, pois depois ela terá que fazer um grande esforço e contar com a ajuda de todos para perder peso o quanto antes e conseguir voltar a ter uma vida normal, que é tudo o quê ela mais quer no momento.

Publicidade
Publicidade

Muffazal Lakdawala é o cirurgião indiano que irá fazer a cirurgia e não quis cobrar nada pelo procedimento. Eman Ahmed Abd El Aty não vê a hora de começar a perder peso e saber que está cada vez mais longe do que hoje está pesando, 500 quilos.

O médico não tem dúvida que do jeito que está, a mulher mais gorda do mundo não irá viver muito mais tempo e avisou que é "um caldeirão de doenças". A cirurgia precisa ser urgente porque a gordura está comprometendo a mulher em todos os sentidos. Ela não consegue se alimentar direito, o coração já não funciona bem, está com problemas respiratórios, não consegue fazer nenhum tipo de atividade física, suas noites de sono são de péssima qualidade, entre muitas outras complicações.

A irmã de Eman disse que a situação está tão difícil que ela não sai do quarto há 25 anos, já não consegue andar nem mesmo dentro de sua própria casa.

Publicidade

O cirurgião indiano, ao tomar conhecimento do caso, sentiu necessidade de ajudar de alguma forma, apesar de reconhecer que só a redução do estômago não resolverá o problema, mas já é o primeiro passo.

A mulher mais gorda do mundo tem 36 anos e terá que viajar de avião par ao hospital onde a cirurgia será feita. A locomoção dela até a mesa de cirurgia irá exigir uma imensa operação, que contará com a ajuda de vários profissionais e voluntários. #Polêmica #Saúde