Foi anunciado nesta quinta-feira (29), pelo presidente russo Vladimir Putin, um acordo de cessar-fogo contra a síria e a oposição armada. Este país infelizmente presencia um conflito bastante violento desde o ano de 2011.

Diversos acordos sob negociação de Washington e Moscou já foram propostos e concluídos na Siria, porém todos eles foram frustados. De acordo com Putin, os documentos assinados contabilizam o total de três, na qual o primeiro consiste no acordo entre o governo sírio e oposição armada em cessar-fogo em todo país da #síria. O presidente russo afirmou ainda que vai haver a redução da presença militar da Rússia sobre o território da Síria.

Publicidade
Publicidade

Não obstante, a luta contra o terrorismo permanecerá.

Acordo tem confirmação do exército sírio e representantes do grupo rebelde

Foi confirmado pelos representantes do exército da Síria, o acordo que autoriza cessar-fogo e dar trégua a partir de meia-noite desta sexta-feira (30). O presente acordo de cessar-fogo faz exclusão aos jihadistas que pertencem ao Estado Islâmico e ao grupo Al-Nusra, que seria a ex ramificação da Al-Qaeda.

O acordo foi confirmado também pela Coalização Nacional Síria (CNS) e um representante de um grupo considerado rebelde, afirmou que os rebeldes também apresentaram concordância.

O que realmente diz o acordo?

Segundo o documento, o acordo consiste na concordância de cessar os ataques armados em sua totalidade, na qual estará incluso, os ataques aéreos e a promessa da não expansão de áreas que controlam a outra parte.

Publicidade

Tudo isto foi divulgado por meio de um comunicado nesta manhã de quinta-feira (29), em que o Ministério das Relações Exteriores da Turquia informou que tanto a Rússia quanto a Turquia irão agir como guardiões no ato de cessar-fogo na Síria.

Um importante alerta foi dito ainda pela Turquia, de que é de fundamental importância que o apoio dos países próximos as duas áreas sejam estabelecidos. É necessário que o regime Sírio e os rebeldes se comprometam a estabelecer este acordo, disse o Ministério das Relações Exteriores da Turquia.