Será que um grupo de cientistas de vários países se cansou de jogar sueca nas horas vagas e, aborrecido, começou a conjeturar como seria viver no Espaço Sideral?

E, com aquela necessidade gregária que todo o ser humano tem, decidiram juntar mais um punhado de gente para lhes fazer companhia?

Mais um pulo de imaginação e chamaram-lhe Asgardia, a cidade de Odin e dos Aegir, deuses da mitologia nórdica.

O problema que se põe é que não são uns cientistazitos de laboratório no saguão que o fizeram, mas sim altas figuras do panorama aeroespacial internacional:

- Igor Ashurbeyli, Rússia: criador do Centro Internacional de Pesquisa Aeroespacial na Rússia e atual Presidente do Comitê de Ciência Espacial da UNESCO;

- David Alexander, Estados Unidos: diretor do Instituto Espacial da Universidade Rice em Houston;

- Ram Jakhu, Canadá: diretor do Instituto do Ar e Lei do Espaço da Universidade McGill em Montreal;

- Joseph N. Pelton, Estados Unidos: diretor emérito do Instituto de Investigação Espacial e Comunicações Avançadas da Universidade George Washington;

- Dumitru Dorin Prunariu, Romênia: trabalha para a Agência Espacial Romena como conselheiro e representa o Estado Romeno no Comitê para o uso pacífico do espaço na ONU)

Eles e mais alguns se juntaram para fundar esta nova nação que já tem mais de 500.000 cidadãos, sendo mais de 1500 deles Portugueses.

Publicidade
Publicidade

Como é que tanta gente em tão pouco tempo respondeu ao chamado? Por que é tão interessante sair do planeta e, talvez um dia, rumar às estrelas distantes?

O bicho homem é, por definição, curioso. E gosta de ultrapassar barreiras. O fascínio pelo desconhecido sempre foi o grande impulsionador das descobertas da raça humana e o planeta tornou-se demasiado pequeno para nós que, queiramos ou não, somos poeira de estrelas.

Esta epopeia já estava no subconsciente das massas faz tempo. É ver como os filmes de ficção científica são sucessos de bilheteira. Porém faltava o tal clique, o botão que iria ligar uma aspiração subconsciente e fazer dela uma realidade possível e alcançável.

Era preciso um líder com carisma. Apoiado pelos novos cavaleiros da távola redonda.

E aí, como um íman que agrega as limalhas de ferro, esse líder começou a congregar gente das mais variadas origens, dos mais recônditos lugares da Terra, todos com um sonho comum, um sonho que já Galileu tinha sonhado.

Publicidade

O sonho de combater a ignorância com o conhecimento, de combater o negativismo com a imaginação imparável de quem almeja saber mais e mais e não aceita que o “status quo” lhe ponha travões.

“E pur si muove” dizemos todos nós, teimosamente.

Porque a ignorância nos leva para o fundo do poço, só a sabedoria nos salva. #portugal #Asgardia #Nação Espacial