O presidente russo, Vladimir Putin, se manifestou a respeito do assassinado do embaixador russo, Andrei Karlov, nesta última segunda-feira (19), ela classificou o ato como “provocação”, que pode minar os laços que estavam sendo feitos entre Moscou e Ancara, e as medidas para estabelecer a paz na Síria.

Vladimir Putin declarou a uma Tv russa, que o #Crime cometido contra o embaixador, era sem sombra de dúvidas para atrapalhar as relações turco-russas, e o processo de paz na Síria.

Durante um encontro com chanceler russo e chefes da agência segurança doméstica e externa, Putin afirmou que irá intensificar o combate contra o terrorismo, e que os criminosos irão sentir isso.

Publicidade
Publicidade

Afirmou que precisa descobrir quem está por trás das mãos do assassino.

O presidente russo entrou em contato com o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, que autorizou que equipes de investigadores russos entrassem em Ancara, para realizar investigações a respeito do crime contra o embaixador.

Existem ainda algumas dúvidas, se policial que executou Andrei Karlov, era de fato uma agente em atividade ou não. Alguns jornais da imprensa russa afirmaram que o atirador seria um ex-policial do batalhão de choque. Sendo um dos milhares de oficiais que foram afastados de seus cargos, no frustrado golpe militar no estado em Julho deste ano. Porém outros veículos de informações, afirmaram que ele ainda era um agente ativo do Batalhão de Choque.

A execução aconteceu alguns dias após protestos na Turquia, a respeito do envolvimento russo em conflitos que acontecem na Síria.

Publicidade

Mesmo Moscou estando envolvido juntamente com Ancara, para a retirada de civis da cidade de Aleppo.

Hoje terça-feira (20), os ministros de Relações Exteriores do Irã e da Turquia possui encontro marcado em Moscou, para conversas providenciais sobre a Síria.

A equipe russa de investigação partiu hoje com 18 agentes do serviço secreto e diplomatas russos, para realizar as investigações do crime contra o embaixador na galeria de Ancara.

O crime

O embaixador, Andrei Karlov, foi assassinado a tiros, numa inauguração de artes em uma galeria de Angara, por um policial turco que gritava: "Aleppo" e "Allahu Akbar", que significa Ala é grande. Moscou classificou o episódio como um atentado terrorista. O policial após atirar no embaixador, ainda com a arma em mãos afirmou agir em vingança pela trágica realidade da cidade de Aleppo, que esta prestes a ser dominada pelo regime da Síria, que conta com o apoio de Moscou. #Casos de polícia