Anis Amri, tunisiano de 24 anos, é apontado pela polícia alemã como o responsável pelo ataque em um mercado de Berlim na última segunda-feira. Ele conduziu o caminhão que dirigia contra as pessoas e depois abandonou o veículo. Em janeiro desse ano, a #Alemanha havia tentado deportá-lo à Tunísia por envolvimento com o #Terrorismo, mas seu país natal não o aceitou de volta.

Promotores de Berlim divulgaram que tinham aberto investigação contra Amri ainda em março. Segundo o que foi apurado na época, ele planejava comprar armas automáticas para executar um atentado. No seu histórico, o tunisiano tem participação em tráfico de drogas em Berlim e em uma briga de bar.

Publicidade
Publicidade

Ainda assim, não havia prova concreta de que ele poderia protagonizar um atentado como o da última segunda.

Como se tratava de um imigrante ilegal, o caso pode refletir negativamente no atual governo alemão, conforme lembrou o presidente da União Policial do país, Rainer Wendt.

"Creio que 82 milhões de alemães querem um resposta sobre como um requerente de asilo, com esses antecedentes, andava tranquilamente sem passaporte pelas ruas de Berlim", disse.

O caso repercute negativamente no governo de Angela Merkel porque aponta uma falha grave no sistema de deportação da Alemanha, gerando dúvidas sobre o acolhimento de refugiados. Cerca de um milhão buscaram asilo na Alemanha no ano passado.