Embora especialistas enfatizem ser impossível prever terremotos, o brasileiro Aroldo Maciel surpreendeu o mundo ao antecipar o terremoto de 7,7 graus de magnitude, que assustou a população do Chile no dia 25 de dezembro.

De acordo com informações do periódico britânico Express, de segunda-feira (26), duas semanas antes do evento, Maciel comentou na emissora chilena La Red Televisión, que antes do fim do ano o país seria atingido por terremoto.

Ao ser indagado pelo apresentador, o brasileiro explicou o método usado para antecipar o fenômeno.

Segundo ele, que baseia as previsões ao observar tremores em outras nações, os recentes abalos sísmicos na Califórnia, China e nas Ilhas Salomão, indicaram a forte possibilidade do Chile ser o próximo a sentir a terra tremer.

Publicidade
Publicidade

Maciel ainda ressaltou ao vivo na televisão chilena, o fato do futuro tremor, que veio a acontecer no dia 25, ser de intensidade superior a 6,5 graus na escala Richter. “Em uma semana ou duas, o Chile poderá tremer novamente", disse.

Também destacou o fato de prever o terremoto no Chile, com população de 17,6 milhões de habitantes, baseado no sismo de 6,5 de magnitude, no início do mês, na Indonésia.

O especialista, que não é vidente, e cuja técnica é ignorada pela ciência, também explanou que após 8 ou 12 horas do tremor principal, outros de menor intensidade, de até 5,2 graus, aconteceriam. Porém, até o momento, não há relatos de tremores secundários no Chile.

O terremoto do último domingo, originado a sudoeste de Puerto Montt, e que pode ser sentido em algumas regiões da Argentina, fez milhares de moradores evacuarem as áreas costeiras, além de resultar em 21 mil residências sem energia elétrica, no Chile.

Publicidade

Abaixo, veja a postagem de outra emissora Chilena sobre a previsão do brasileiro.

Primeiro sismógrafo inventado na China

No século 2 da era Cristã, Zhang Heng, astrônomo, matemático e inventor, fabricou um cata-vento de terremoto no ano de 132, considerado o primeiro sismógrafo do mundo.

Na ocasião, ele desenvolveu um aparelho a partir de uma jarra de vinho de bronze, com 2 metros de diâmetro. Em torno do objeto, havia oito cabeças de dragão, cada uma com uma bola.

No chão, ao redor da jarra, eram colocados oito sapos com as bocas abertas. Então, durante tremor de terra, uma das bocas do dragão se abria, deixando a bola cair na boca do sapo. A localização do dragão que soltava a bola indicava a direção do terremoto.

Veja a foto do sismógrafo chinês na galeria de imagens. Abaixo, assista ao programa completo.

#Mídia #Curiosidades #Internet