#Justiça americana condenou com pena de prisão um homem que matou um cão. Uma sentença rara para um homem que abateu o animal, que era cruzado de terrier, e ainda atirou seu corpo para o deserto. O crime foi testemunhado por várias pessoas e Efrén Rodriguez Martínez não evitou a pena de prisão de cinco anos, uma sentença que está sendo elogiada por grupos de ativistas defensores dos #Animais.

São raros os casos em que maus tratos contra animas acabam sancionados com penas de prisão. Aconteceu em um tribunal da Califórnia, nos Estados Unidos da América, e os jurados concordaram em uma pena efetiva de prisão. Depois de ter dado uma "paulada na cabeça" do cão a e ainda ter se livrado do corpo do animal para o deserto, um crime de "violência cruel" sobre o cão, Efrén Martínez vai passar os próximos anos na cadeia.

Publicidade
Publicidade

O crime aconteceu em Whitewater, e vários vizinhos teriam assistido a essa cena cruel. Inicialmente, o homem ainda se tinha declarado inocente no tribunal, negando todas as acusações. Mais tarde, junto com sua defesa, Martínez tentou se declarar como "mentalmente incompetente", mas acabaria mesmo por assumir sua culpa, assumindo esse crime.

Martínez, de 55 anos, vivia em uma propriedade de Whitewater. Na rua, 'vivia' Rusty, um cão que não tinha donos, mas que as pessoas acarinhavam e iam alimentando. Rusty era cruzado de terrier e teria cerca de três anos. Todos pareciam gostar muito do cachorro, menos Martínez que o agrediu com enorme violência.

Quando foi confrontado por um de seus vizinhos, que não teria gostado nem um pouco do que tinha acontecido, o homem ainda ficou se achando cheio de razão.

Publicidade

"Posso matar quem eu quiser na minha propriedade, seja cachorro ou pessoa", falou Martínez em tom ameaçador. Rusty ainda foi levado em uma clínica, mas morreu dois dias depois, não sobrevivendo aos graves ferimentos.

Martínez demonstrou completo desprezo pelo animal, que seria abandonado, e isso pesou contra ele, na hora da decisão do juiz. Uma decisão que está sendo bem recebida junto dos defensores dos animais, que elogiam estas sentenças que defendem a integridade dos animais. "A prisão não é comum na maioria dos casos de maltrato animal, aí que é extremamente satisfatório que o senhor Martínez tenha recebido esse nível de castigo, declarou Chris Mayer, responsável de pelo serviço de proteção de animais, bastante satisfeito com os cinco anos de prisão que ficou decretado para Efrén Martínez. #Cães