A história dramática de um homem norte-americano negro, pobre e agora idoso daria um filme destes de ganhar o Oscar de melhor roteiro.

Lawrence McKinney, de 60 anos, passou mais da metade de sua vida atrás das grades pagando por um #Crime que ele não cometeu. Quando enfim foi comprovada a sua inocência, sabe o que ele ganhou como compensação pelos anos perdidos? US$ 75,00 ou o equivalente a R$ 254,00.

O que poderia ser comprada com essa quantia irrisória? No Brasil não chegaria nem a meia cesta básica, cujo valor foi avaliado em R$ 469,55 em novembro, pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Publicidade
Publicidade

McKinney ficou 31 anos atrás das grades, impedido de evoluir em sua profissão e, consequente, de desenvolver os próprios meios de subsistência. Apesar disso, tudo o que o governo americano lhe deu correspondente a menos de meia cesta básica.

A terra da liberdade e da oportunidade enterrou a vida do agora idoso e o condenou para sempre à mendicância. Ele foi preso quando estava no auge da juventude, em 1978, com 29 anos, e agora deverá ser mais um a necessitar de ajuda para se manter, por conta da idade avançada para entrar no mercado de trabalho.

Mas a situação poderia ser ainda pior se em 2009 seus advogados não conseguissem finalmente reabrir o processo que o condenou a 115 anos. Naquele ano sua inocência foi comprovada graças a um exame de DNA.

Segundo noticiou a rede de televisão CBS, o ex-detento procurou a Justiça para receber uma compensação financeira do governo e pediu a quantia de US$ 1 milhão.

Publicidade

Por duas vezes o seu pedido foi indeferido e agora saiu a decisão.

À imprensa ele fez um balanço de sua situação desoladora dizendo que não tem vida, que sua existência digna lhe foi tirada pelo Estado.

O defensor da vítima desse absurdo jurídico, Jack Lowery, ressaltou à emissora que seu cliente merece uma reparação por ter sido obrigado por um erro das autoridades a passar mais da metade da vida confinado.

Ele reforçou que os magistrados não fizeram justiça impedindo que ele receba uma compensação por ter sido vítima de uma condenação que nunca deveria ter acontecido.

No mês de setembro, Lawrence sofreu outra derrota. Ele teve um pedido de exoneração indeferido pelo conselho de condicional dos Estados Unidos. Ele aguarda agora do governador de seu Estado, o Tennessee, uma decisão definitiva. #Investigação Criminal