Autoridades alemãs encontraram documentos pessoais no caminhão usado no ataque em Berlim. Foi divulgado nesta quarta-feira, 21, que as autoridades alemãs encontraram ligações entre o suspeito do #Ataque em Berlim e extremistas islâmicos. De acordo com a imprensa alemã, foram encontrados documentos pessoais dentro do caminhão que invadiu a feira de Natal em Berlim na noite de segunda-feira (19).

O documento pertence a Anis Amri, tunisiano, que pode ter ligação com o pregador islâmico radical Ahmad Abdezziz, que está preso desde novembro. Acredita-se que Anis esteja usando nomes falsos para despistar a polícia. O governo alemão está oferecendo 100 mil euros para quem der informações concretas sobre Amri.

Publicidade
Publicidade

Ele é considerado altamente perigoso, e pode estar armado, toda Alemanha reforçou sua guarda nos lugares mais frequentados, e inclusive na guarda real.

O ataque em Berlim

Na última segunda-feira (19), um caminhão invadiu a feira de Natal em Berlim por volta das 20h (horário local), quando muitos turistas e moradores faziam suas compras e passeavam pela avenida. Doze pessoas morreram e várias ficaram feridas, algumas em estado grave. Acredita-se que tal ato tenha sido movido por #Terrorismo, que vem acontecendo nos últimos anos, principalmente nos países como França, Alemanha, EUA.

O caminhão vinha da Itália e transportava vinte e cinco toneladas de produtos metalúrgicos. O prefeito solicitou que as pessoas não saiam de casa, já que o principal suspeito ainda encontra-se foragido. Muitos moradores fizeram ligação do ataque ao que ocorreu na França em julho desse ano, quando oitenta e seis pessoas morreram.

Publicidade

O acontecimento também teve ligação com o Estado Islâmico e o autor tem a mesma origem de Anis (Tunísia).

Segundo testemunhas, a situação no país neste momento é de caos e medo. Os alemães estão contando com o apoio dos países mais próximos. O que era para ser uma semana festiva, infelizmente, seguirá em luto e em lágrimas.

A Casa Branca repúdio o ataque e informou que dará todo o respaldo a Berlim. #Casos de polícia