No mundo globalizado da atualidade, é muito comum encontrar cidadãos brasileiros morando fora do Brasil, os quais partem pelas mais diferentes razões, tais como: #Trabalhar no exterior, estudar e se aperfeiçoar no idioma do novo país escolhido ou é só o puro desejo de rodar o mundo com uma mochila nas costas e sem muito compromisso com o dia a dia e as obrigações impostas pela sociedade secular. Alguns escolhem lugares distantes como o Canadá, Austrália, China, Finlândia, entre outros, mas para quem não sabe, aqui mesmo, pertinho do Brasil e fazendo fronteira ao sul, há uma pequena nação disposta a facilitar a vida dos brasileiros que por lá queiram fixar moradia, que é o Uruguai.

Publicidade
Publicidade

E por falar em Uruguai, no dia 20 de dezembro foi aprovado pelo Congresso Nacional brasileiro o acordo de caráter bilateral, o qual já tinha sido assinado entre o Uruguai e o Brasil, visando estimular e facilitar o que é chamado no meio diplomático de emissão recíproca de vistos de residência permanente. Enfim, a negociação entre os dois países sul-americanos não é nem um pouco nova, onde apesar do acordo ser datado desde o ano de 2013, foi somente no final de 2016 que o mesmo foi homologado definitivamente, após publicação no DOU – Diário Oficial da União a respeito de um determinado tópico para que a medida entrasse em vigor de uma vez por todas.

O resumo prático depois de ultrapassadas todas as etapas de negociações, assinaturas e ratificações legais entre os dois países, é que cidadãos tanto brasileiros quanto uruguaios, uma vez manifestando o desejo de residir de modo permanente no país vizinho, terão que unicamente comprovar possuir um passaporte que esteja válido, um RG (Registro Geral) ou carteira de identidade e por fim um documento na forma de uma certidão negativa de registros criminais e judiciais.

Publicidade

A simplificação desse acordo bilateral acaba extinguindo a necessidade de uma série de demais documentos e pagamentos de taxas diversas, sendo que brasileiros e uruguaios não precisarão passar por um período de permanência prévia de fixação de residência, isso é, pessoas de ambas as nacionalidades poderão se locomover livremente na área geográfica do país que as acolheu, desde que tenham obviamente o visto de residência permanente. #Mercosul #Estudar no exterior