A um dia da véspera do Natal, o grupo Estado Islâmico (EI) continua a disseminar o terrorismo por todo o mundo. Nesta sexta-feira, 23, imagens divulgadas pelos terroristas acabaram sendo disseminadas por todo o planeta. Elas exibem dois prisioneiros sendo queimados vivos. As imagens mostram dois soldados turcos queimando, enquanto seus algozes apenas olham e filmam tudo. O conteúdo foi divulgado pelo próprio grupo, que neste momento está sendo combatido na cidade de Ancara, na Turquia. A divulgação da pena aos soldados turcos seria uma forma de intimidação e represália ao combate ao terror feito pela Turquia.

Conteúdo forte

O vídeo, que tem conteúdo impublicável, mostra os dois homens inicialmente trancados dentro de uma jaula, como se fossem animais.

Publicidade
Publicidade

Soldados do Estado Islâmico retiraram eles dali, logo em seguida, os amarram em correntes que estão dispostas no chão. Ao todo, o vídeo, que mostra os prisioneiros sendo queimados vivos, tem dezenove minutos. De acordo com informações do portal de notícias G1, em matéria publicada nesta sexta-feira, 23, as imagens foram feitas na 'Província de Alepo', que fica no norte de um país que convive com a guerra, a Síria.

Um homem, que representa o Estado Islâmico (sem nome identificado) e que coloca fogo nos rapazes presos, faz um discurso revoltado e cheio de ódio, atacando o presidente Recep Tayyip Erdogan e convocando à “destruição” da Turquia. Em novembro, a Turquia perdeu o contato com os soldados de seu Exército. No momento do desaparecimento deles, os dois combatiam o terror na Síria. A disseminação de ódio pelo EI é tão grande que o grupo possui até uma agência de notícias apenas para isso, a Amaq.

Publicidade

Foi ela que anunciou no mês passado que os homens, queimados vivos nesse fim de semana, haviam sido sequestrados.

Números da guerra

De acordo com informações da agência de notícias AFP, desde o dia 25 de agosto, quando a Turquia lançou uma operação na Síria - a Operação 'Escudo de Eufrates' - ao menos trinta e oito soldados turcos teriam sido mortos no combate. #Terrorismo #Crime