A Justiça dos Estados Unidos mandou um documento ao Ministério das Relações do México e Equador, onde pede informações a respeito do envolvimento da Odebrechet e do ex- presidente Luis Inácio Lula da Silva nestes países. De acordo com informações da rede ABC, as autoridades norte-americanas pretendem analisar o cruzamento de dados e de informações sobre os montantes que foram transferidos pelos brasileiros identificados nas planilhas, com os projetos executados em cada país.

Caso as irregularidades nos documentos sejam confirmadas, a Suprema Corte Internacional poderá pedir a prisão de Lula e demais envolvidos. De acordo com as investigações, o esquema foi criado para desvio de verbas e lavagem de dinheiro.

Publicidade
Publicidade

Com as investigações da Operação #Lava Jato, descobriu-se que os envolvidos foram capazes de proporcionar o maior esquema de #Corrupção já registrado no mundo todo. Especialistas estimam que o desvio de dinheiro foi utilizado para enriquecimento ilícito, golpe financeiro e formação de quadrilha . Enquanto isso, as autoridades brasileiras aguardam um relatório das investigações que estão sendo realizadas nos Estados Unidos, México e Equador.

Na última semana, as autoridades mexicanas abriram um inquérito para identificar quais os funcionários Pemex (Petroleo Mexicano), que teriam recebido suborno da Odebrecht. O Ministério Publico do México começou a recolher informações referentes ao assunto, afirmou um comunicado do governo mexicano, publicado na última quinta-feira (22). Já no Equador, a polícia equatoriana cumpriu mandados de busca e apreensão, que foram realizados nos escritórios da Odebrecht, da cidade de Guayaquil.

Publicidade

Na ocasião, foram apreendidos documentos referentes ao pagamentos de propinas no equivalente a U$ 35 milhões, que foram repassados aos funcionários públicos daquele país. Além dos documentos, foram apreendidos mais cinco notebooks, uma CPU e mais três HDs. Durante as investigações,os procuradores equatorianos, haviam solicitado assistência jurídica de países como Estados Unidos, Brasil e Suíça. As operações foram realizadas em dois escritórios da Odebrecht, que estão localizados no centro de Quayaquil. #Política