Na última quarta-feira (30), a operação engenhosa que roubava silenciosamente milhões em dinheiro de caixas eletrônicos europeus foi revelada pela empresa russa, IB, especializada em segurança online. Segundo as investigações existia um roubo organizado e interligado em vários caixas em toda a Europa.

Os bandidos utilizavam de uma espécie de vírus (Malware) para conseguir que as máquinas fossem programadas para emitir notas a mais do que as solicitadas pela pessoa sem que isso alterasse o valor existente na conta corrente dela. Em alguns casos não era necessário nem que houvesse um cartão ou senha, o caixa simplesmente emitia dinheiro aleatoriamente.

Publicidade
Publicidade

O esquema de alto padrão tecnológico ficou conhecido como ‘saque sem toque’. Segundo a agência russa, os criminosos conseguiam tomar os computadores e as informações dos bancos e a partir daí instalar uma espécie de vírus que permitia rearranjar o sistema de diversos caixas eletrônicos para que as máquinas começassem a emitir dinheiro quando eles bem entendessem.

O esquema é muito bem pensado, na hora programada alguém envolvido na quadrilha ia até o caixa e simplesmente pegava o dinheiro que saia da máquina. Não era preciso arrombar os caixas, não envolvia violência, assalto, em um ataque silencioso milhões de euros foram levados sem que nem mesmo os bancos se dessem conta.

De acordo com o IB em apenas um ‘saque’ os bandidos levaram quase meio milhão de euros. Dentre os países em que o golpe foi aplicado estão o Reino Unido, a Holanda e a Espanha.

Publicidade

Sistemas que deveriam ser confidenciais conseguem ser invadidos pelos criminosos online. O #Crime vem sendo investigado desde 2013, mas só agora se chegou à conclusão de como o ataque é realmente aplicado.

Os assaltantes têm consciência de que serão flagrados então tentam manipular o máximo de caixas que conseguem de uma única vez para que o roubo aconteça de maneira rápida e eficiente. A quadrilha conta com um número de pessoas grande para que o esquema dê certo. Só no Reino Unido cerca de setenta mil máquinas foram manipuladas nesses três anos de investigação. As autoridades estudam uma maneira de barrar o golpe. #Investigação Criminal #Casos de polícia