Alguns crimes são vistos como sem explicação pela sociedade. Pessoas são assassinadas todos os dias, mas alguns casos ganham notoriedade mundial. É o caso da jovem indiana Kulwinder Kaur. Ela tinha apenas vinte e cinco anos de idade e estava grávida de três meses quando foi assassinada. A moça dançava em uma festa de casamento, na cidade de Punjac, na Índia, quando recebeu um tiro mortal. De acordo com informações do tabloide inglês 'The Sun', a polícia investiga o caso com prioridade e quatro pessoas já fora presas acusadas de terem participado do crime bárbaro. Câmeras de pessoas que estavam na festa acompanhando a gravação filmaram tudo.

Publicidade
Publicidade

Ao final desta reportagem, o leitor pode acompanhar o vídeo que exibe o exato momento do assassinato da moça.

As imagens foram compartilhadas em sites como o Youtube. A indiana dançava com outras três colegas em um palco. Ela seria amiga da noiva e se organizou para fazer uma apresentação especial naquela data. Um homem entra com uma arma enorme na festa, aparentemente um rifle. E então dispara a menos de dois metros de sua vítima, que cai no chão e morre naquele exato momento. As demais dançarinas ficaram muito assutadas com o barulho que ouvem e, já em seguida, veem a colega de coreografia sangrando muito no chão. Elas ainda não sabiam que ela estava sem vida. O casamento que era para ser um momento de alegria acabou em uma grande tragédia.

A moça estaria grávida de três meses quando foi assassinada.

Publicidade

Acredita-se que ela tenha sido assassinada porque os homens queriam subir no palco, mas foram impedidos. Eles estariam muito bêbados e o motivo banal é elencado como a estratégia para que acontecesse a morte. Ainda não se tem certeza de quais dos homens teria efetuado o disparo.

A polícia indiana também acredita que mais gente tenha participado da atitude criminosa, que repercutiu no mundo. A família da grávida está desolada com a tragédia. Veja abaixo o vídeo do momento em que a mulher grávida leva o tiro.Atenção, as imagens podem ser consideradas muito fortes.

#Crime #Investigação Criminal