O ano de 1914 mudou e muito o curso da história da humanidade, pois foi nessa data que o membro da realeza, o arquiduque Francisco Fernando, herdeiro de direito do Império Austro-Húngaro, foi assassinado a tiros junto com a sua esposa, por um jovem nacionalista da Sérvia, o que é considerado pelos historiadores como o gatilho da eclosão da I Guerra Mundial, abalando a sociedade mundial estabelecida naquela época.

Em 19 de dezembro de 2016, ou 102 anos após a morte de Francisco, pessoas de vários países ficaram estarrecidas com a triste realidade transmitida em tempo real, que foi o assassinato de uma autoridade de um país extremamente importante no equilíbrio das relações diplomáticas internacionais, a Rússia.

Publicidade
Publicidade

O crime foi cometido por um policial turco de 22 anos, que disparou no embaixador enquanto esse fazia um breve discurso na galeria de arte em Ancara.

Mevlut Mert Altintas é o nome do atirador que aos berros pronunciava em árabe: "Allahu Akbar" ou "Alá é grande", como uma forma de protesto pela ação militar da Rússia contra o Estado Islâmico na vizinha Síria. Altintas não ficou vivo para explicar o porque do seu ato covarde, uma vez que foi morto pelos guardas que faziam a segurança do local.

O fato ocorrido na segunda-feira é extremamente perigoso, uma vez as relações turco-russas só agora apresentam uma leve tendência de melhora, pois não deve ser esquecido que no mês de novembro de 2015, a Força Aérea Turca derrubou em uma cilada, o caça de combate SU-24 sobre espaço aéreo sírio (a Rússia e a Turquia divergem diametralmente sobre a guerra civil síria), provocando uma corrida armamentista sem precedentes dos russos no Oriente Médio, sanções econômicas de Moscou e quase as duas nações partem para um conflito armado franco.

Publicidade

A porta-voz oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, a experiente Maria Zakharova, classificou o incidente como um "ataque terrorista”, onde “o embaixador da Rússia na Turquia foi morto". Ainda de acordo com notícia do Washington Post, periódico dos EUA, o policial turco no momento do crime prometeu ser fiel a Maomé e incentivou a jihad ou guerra santa, o que não passa de #Fanatismo religioso.

Mevlut tinha uma credencial oficial para estar na galeria que recebia a exposição denominada "Rússia vista pelos turcos", tanto que um vídeo gravado no exato momento do atentado mostra que o atirador estava a poucos metros atrás do embaixador, já caído no chão, e gritava palavras de ordem. Jornalistas e especialistas em política internacional falam com todas as letras que o principal objetivo do atentado é o de desestruturar a frágil relação que vem sendo retomada entre a Rússia e a Turquia, que é membro da OTAN – Organização do Tratado do Atlântico Norte, mas, nem por isso, deixa de apoiar grupos terroristas contra o governo de Damasco, apoiado por sua vez pelo Kremlin.

Publicidade

O presidente da Rússia #Vladimir Putin e o seu controverso colega turco Recep Erdogan se contataram imediatamente para instaurar um comitê conjunto de investigação. Não foi só a ONU que condenou o ataque, mas também até a própria OTAN disse que a ação foi um "ato atroz". Países como os EUA, Alemanha, Síria e Irã condenaram veementemente o que aconteceu hoje em Ancara, classificando o ato de "terrorista e covarde".

O mundo aguarda com ansiedade cenas dos próximos capítulos dessa que parece ser uma partida de xadrez a fim de se saber quem dará o fatídico xeque-mate. #Russia