Talvez não haja afeições mais puras do que o amor e a lealdade que esse cão fiel, chamado #Mollie, tem por sua pessoa favorita, seu dono. Tal afeição se estendeu mesmo quando seu dono estava mal. Mollie foi em lugares onde não poderia ir para acompanhar seu amigo humano.

Conheça essa história

No mês passado, o dono de Mollie, Ryan #Jessen, de 33 anos, foi hospitalizado depois de sofrer uma hemorragia cerebral, da qual não se recuperaria.

Amigos e a família Jessen foram atingidos por um enorme sofrimento em todos os momentos, até que ele morreu, no dia 30 de novembro.

Mas, antes de Jessen falecer, ele disse aos presentes em seu quarto de hospital que gostaria de dizer algumas palavras a Mollie.

Publicidade
Publicidade

Eles contaram para a equipe de atendimento do hospital, que permitiu a entrada de Mollie.

Veja o que aconteceu pelo relato da irmã de Jessen, Michelle, que descreve no Facebook: "O hospital fez a coisa mais doce para nós e nos permitiu trazer o cachorro do meu irmão para 'dizer adeus' para que ela soubesse por que seu ser humano nunca voltou para casa. Se você conhecesse meu irmão, ele realmente amava seu cãozinho".

A família fez um vídeo sobre esse momento tão emocionante. Enquanto a gravação daquela cena tocante era provavelmente destinada a pessoas que conheciam Jessen, ela atingiu pessoas de todo o mundo, que ficaram comovidas com o amor entre um homem e seu cão, além do carinho dos amigos, familiares e da equipe do hospital que permitiram que esse momento fosse possível.

"Estamos sinceramente tocados e humilhados pelas histórias dos outros, sua participação em nossa tristeza e a bondade de tantas pessoas", escreve Michelle.

Publicidade

Michelle ainda fala sobre o #Cachorro e como ele ainda vive com eles: "Não se preocupe com o cachorro, estamos mantendo-a! Ela faz parte da família."

Sem dúvida, levará tempo para a família e os amigos de Jessen lidarem com sua perda, mas seu legado viverá, especialmente no coração do cão que o amou tão intensamente, até o último momento. Muito especial, não é mesmo?!