O embaixador Andrei #Karlov cumpriu um importante papel na melhoria entre as relações de Rússia e Turquia. Político experiente, de 62 anos, ele foi enviado à Turquia em 2013 para tentar fortalecer as ligações comerciais entre os países, apesar das divergências quanto à situação da Síria.

Em novembro de 2015, no entanto, um grave episódio voltou a estremecer as relações russo-turcas. Um caça da Turquia derrubou um avião de guerra da Rússia na fronteira com a Síria. O caso desencadeou uma importante crise diplomática e Vladimir Putin, presidente russo, classificou como uma "punhalada pelas costas".

Meses depois, a situação entre os países voltou a se acalmar, ainda que as divergências sobre a Síria marcassem a relação.

Publicidade
Publicidade

Enquanto os turcos defendem a oposição do governo Sírio, a Rússia apoia o exército do presidente Bashar al-Assad. O crime desta segunda-feira, que tirou a vida de Karlov, está diretamente ligado com a Síria.

Isso porque, de acordo com testemunhas, o pistoleiro Mevlut Altintas gritou palavras em favor da Síria após disparar cinco vezes contra o embaixador russo. Ele também citou a cidade de Aleppo, local onde muitos civis têm morrido em decorrência da guerra.

Karlov, antes de assumir o cargo em Ancara, teve um histórico de atuação nas duas Coreias, até por falar fluentemente o idioma. A Rússia mantém boas relações com ambos países. Ele deixa a esposa e um filho. #Russia