O julgamento de um caso de homicídio infantil está chamando a atenção de moradores do Reino Unido. Uma #mãe de 26 anos cortou o pescoço de seu próprio #filho pequeno por acreditar que ele tinha o capeta no corpo. Ele tinha apenas seis meses de idade.

O caso aconteceu na cidade de Newcastle. Quem encontrou o corpo da criança já sem vida foi o pai ao chegar em casa. Segundo informações, ele encontrou o filho e sua esposa deitados sob um colchão e cobertos de sangue. Imediatamente ele tomou as decisões necessárias e a jovem mãe foi levada para prestar esclarecimentos perante a lei.

Ao ser interrogada, a mulher contou que estava ouvindo vozes há um tempo que lhe diziam que a criança não era filho dela e que era de sua responsabilidade “dar um jeito” nela.

Publicidade
Publicidade

Essas vozes também lhe falavam várias vezes que o bebê estava segurando um capeta em seu próprio corpo. Segundo ela, as vozes eram assustadoras e ela sentia muito medo quando elas chegavam.

Devido ao depoimento, a responsável pelo #Crime foi encaminhada para uma clínica psiquiátrica, onde passou por vários exames e foi diagnosticada como portadora da Síndrome de Capgras.

A Síndrome de Capgras é causada por um distúrbio raro onde o paciente sofre ilusões. Comumente, eles acreditam que um ou vários de seus entes mais próximos foram substituídos por uma outra pessoa mal intencionada. Relatos de portadores demonstram que essas pessoas tendem a se afastar, fugir e, principalmente, se defender ferozmente contra quem identificam como sendo o impostor. Assim, eles podem ferir e até mesmo matar algum familiar que eles identifiquem que tenha sido trocado por outra pessoa, ou melhor, que outra pessoa tenha ocupado seu lugar em sua vida e no ambiente familiar.

Publicidade

Estudos apontam que os pacientes da síndrome não conseguem reconhecer o rosto das pessoas mais próximas e íntimas devido ao acontecimento de uma “imagem-espelhada” de prosopagnosia. Pesquisadores acreditam que a pessoa consiga fazer o reconhecimento de forma consciente, porém possuem falhas no reconhecimento emocional. Assim, tem-se a sensação de que se conhece a pessoa que se vê, porém a sensação é que tem algo errado com ela, ou algo não está como deve ser.

A mãe que cortou o pescoço de seu filho de seis meses foi julgada inocente da morte dele, porém permanecerá internada na instituição psiquiátrica sob tratamento.