Uma história inacreditável comoveu a Ucrânia, na Europa Oriental.

Uma mãe resolveu viajar com o namorado e largou duas crianças menores de três anos sozinhas em casa. Trancadas e sem ter como se alimentar, o filho mais novo, de 1 ano e 11 meses, acabou morrendo de inanição, ou seja, morreu de fome.

Já a filha de pouco mais de dois anos foi encontrada extremamente fraca e precisou ser internada.

Tudo aconteceu na cidade de Kiev, capital do País. Conforme as autoridades ucranianas, o garoto identificado como Daniil foi a óbito após seis dias se comer. Já a sua irmã, de nome Anna, ficou desnutrida e psicologicamente abalada, após passar três dias em contato direto com o corpo do irmão.

Publicidade
Publicidade

Apesar de bastante debilitada, a garotinha deverá se recuperar, segundo a equipe médica que acompanha o caso. Para que ela reaja mais rápido os médicos iniciaram uma alimentação intravenosa tão logo ela chegou ao hospital. Com todos os esforços em hidratá-la, a menina está respondendo bem e fora de perigo.

“Inclusive, aos poucos está sendo introduzida comida sólida”, explicou um dos médicos responsáveis.

A história foi publicada no jornal britânico Daily Mail. A reportagem descobriu que a mãe das crianças é Vladislava Podchapko. Ela tem 20 anos de idade e já está esperando outro filho. A gestação alcançou oito meses e o pais da criança é o namorado com quem ela viajou sem os filhos.

As outras crianças são de um outro relacionamento e o nome do pai não foi divulgado.

O mais absurdo é que em depoimento na delegacia Vladislava alegou que não imaginava que crianças podiam morrer de fome.

Publicidade

As autoridades já entraram em ação para dar a justa punição à mãe, que foi presa e deve ser processada por negligência, enfrentando uma pena mínima de oito anos de reclusão.

Ainda segundo a publicação, os vizinhos da residência onde as crianças estavam teriam ouvido a menina mais velha, a que sobreviveu, chorar por muitas horas. Os moradores teriam justificado a falta de atitude dizendo que ligaram para a polícia para denunciar, mas não foram atendidos. #Crime #Investigação Criminal