Autoridades da Pensilvânia, nos Estados Unidos, acreditam que uma mulher postou uma longa nota de suicídio no Facebook, dizendo a seu marido "você não merece ter um filho, ter um legado", pouco antes de sufocar seu filho de apenas um ano e fatalmente ter atirado contra si mesma, cometendo o suicídio. A polícia estatal disse ter encontrado os cadáveres de Sheri Shermeyer, de quarenta anos, e seu filho, John, dentro de sua casa na segunda-feira à tarde. As autoridades chegaram ao local depois que um amigo de Sheri viu a publicação feita por ela no Facebook.

O médico do condado de York disse acreditar que Shermeyer compôs o texto de seiscentas palavras cerca de duas horas antes da polícia encontrar os corpos dela e do filho em Glen Rock, cerca de oitenta quilômetros a oeste de Filadélfia.

Publicidade
Publicidade

A polícia chamou as mortes de um aparente assassinato-suicídio na quarta-feira. A postagem polêmica publicada na rede social dizia que Shermeyer sentiu que ela estava lentamente morrendo por dentro e que a única coisa que ela tinha para viver era o menino, que acabou assassinado.

"E mesmo agora, tudo que eu posso pensar é deixar este mundo", dizia um trecho do texto, que acabou repercutindo em todo o planeta, devido ao ódio dessa mãe. Dirigindo sua raiva ao marido, ela escreve: "Você não merece ter um filho, ter um legado. Por que você deveria ter seu nome seguido?", continua a mulher na mensagem que é a maior prova de que foi ela mesma quem acabou matando a criança e depois se matou. As pessoas que responderam ao post expressaram preocupação e depois falaram em notificar a polícia. Um dos amigos online da mulher realmente ligou para os agentes, que já encontraram os corpos sem vida na casa da internauta.

Publicidade

O marido da suicida não foi encontrado até a quinta-feira, 29, como mostra uma reportagem publicada no site da CBS, um dos maiores canais de TV dos Estados Unidos. Ele também não parece estar no Facebook ou tem um número de telefone listado facilmente. A promotora que está cuidando do caso, Pam Gay, disse que a polícia mostrou a postagem em seu escritório e que ela ficou muito entristecida com tudo o que houve. #Crime