Eric Schmitt-Matzen, de 60 anos, faz a alegria de muitas #crianças quando se veste de Papai Noel e espalha sorrisos e divide presentes, por vários centros. Por ano, são mais de 80 os locais por onde ele passa. Porém, seu 'trabalho' nem sempre é bonito e feliz.

Como ele contou para o jornal Daily Mail, quando um menino de cinco anos morreu em seus braços, ele ficou repensando se deveria ou não continuar sendo o #papai noel.

O último desejo: ver o Papai Noel

Um menino de cinco anos estava no leito de morte, mas com o #Natal chegando, ele tinha seu último desejo: ver o Papai Noel. Eric Schmitt-Matzen é engenheiro mecânico de profissão e estava chegando em casa, quando uma enfermeira ligou para ele, com muita urgência, de um hospital do Tennessee, nos Estados Unidos.

Publicidade
Publicidade

Ela pediu para ele ir rápido porque um "menino de cinco anos muito doente" só queria vê-lo. Era esse seu último desejo.

Eric se trocou rapidamente e saiu correndo para o hospital, sem saber o que iria encontrar. Quando chegou, encontrou a mãe do menino, que lhe deu um presente, para que o Papai Noel desse para o seu filho. Com o menino, estavam várias pessoas muito chorosas. Sem saber como reagir, o bom velhinho pediu para eles saírem para que ele ficasse sozinho com a criança porque com as pessoas chorando, ele não iria conseguir dar alguma alegria para o menino.

Quando chegou perto do pequeno, o encontrou "deitado e preparado para adormecer". Então, começou brincando com ele, falando que ele não podia perder o Natal porque era seu "elfo número um". "Sou?", perguntou o menino, animado com essa responsabilidade tão grande de ser um dos elfos do Papai Noel para esse Natal.

Publicidade

Eric entregou o presente para o menino, que tinha uma pergunta para fazer. "Eles estão falando que eu vou morrer, como faço para entrar para onde eu vou?", perguntou o menino. Com dificuldades para controlar suas lágrimas, Eric pediu para o menino falar que ele era o "elfo número um do Papai Noel" e que eles deixavam ele entrar, com certeza.

O menino se sentou na cama e abraçou o Papai Noel, dizendo: "Você pode me ajudar?". Foram essas suas últimas palavras, e sem que Eric pudesse dizer mais nada, o menino morreu nesse abraço.

A verdadeira missão do Papai Noel

Eric Schmitt-Matzen passou quatro anos no Exército, mas esse foi o momento mais difícil que viveu, que o fez mesmo pensar em deixar de ser o Papai Noel, depois de ficar uma ou duas semanas pensando sobre aquele momento o tempo todo.

Mas, no dia em que aceitou fazer um outro show, as sensações regressaram. Quando viu todas as crianças sorrindo e felizes, ele se lembrou porque gostava tanto de ser Papai Noel. "Isso me fez perceber a minha missão", disse Eric Schmitt-Matzen.