O mundo ficou chocado com a notícia da queda de um avião que levava a delegação da #Chapecoense para disputar a final da Sul-Americana na madrugada de terça-feira (29). O piloto #Miguel Quiroga, de 36 anos, que era um dos sócios da companhia aérea LaMia, e que fazia o voo, está sendo acusado de ser o responsável pelo desastre que acabou levando à morte 71 pessoas. Entre as vítimas estavam a delegação inteira da chapecoense, dirigentes, jornalistas e membros da equipe do time. Apenas seis pessoas foram resgatadas com vida, sendo três jogadores, dois tripulantes e um jornalista.

O desastre aéreo comoveu o mundo, que sentiu a perda com lágrimas e sentimentos expostos através de centenas de homenagens.

Publicidade
Publicidade

As investigações agora estão à procura do responsável pela catástrofe, que tudo indica ser o piloto. Por isso, várias análises estão sendo feitas para determinar o que causou o desastre. Segundo o "Portal da Holanda", Miguel Quiroga tinha mandado de prisão expedido na Bolívia.

As investigações descobriram que ele também havia desertado da Força Aérea. Reymi Ferreira, Ministro da Defesa do país, disse que na Bolívia, quando se formam pilotos militares, existe um compromisso de não se retirarem da Força Aérea durante os anos que são determinados de serviço. Mas que Miguel não cumpriu isso, retirando-se antes do tempo. Para que não fosse preso, ele entrou com um recurso na Justiça.

Na Bolívia, o custo de formação de pilotos está em torno de R$ 340 mil para os cofres públicos. E por isso, somente em casos extremos é permitida a baixa do piloto, o que não foi o caso de Miguel.

Publicidade

Estado de saúde dos sobreviventes

Os médicos brasileiros estão acompanhando o estado de saúde dos sobreviventes da catástrofe e em nota informaram que Neto tem atualmente o pior quadro. Ele está ainda usando respiração mecânica e com cuidados intensivos, relatou Edson Stakonsky.

Jackson Follmann, que teve uma das pernas amputadas, está evoluindo, e está sendo dada atenção total à cicatrização de suas feridas.

Já o jornalista Rafael Henze, que apresentou um quadro de infecção pulmonar, já está respirando sem a ajuda dos aparelhos.

Ruschel, o lateral, é o que está melhor e o que tem mais informações sobre o que aconteceu. #Acidente