Internautas que acompanham diariamente postagens e cliques na internet veem de tudo, desde pedidos de casamento, términos de namoro e procura por emprego, até coisas bizarras e ruins. Desta vez quem chamou a atenção foi uma americana que ao fazer uma postagem em uma rede social deixou muitas pessoas indignadas.

Uma mãe de quarenta anos postou uma carta que seria para seu marido, com quem tinha um filho de um ano e três meses. Na carta ela dizia que seu marido não merecia ser pai e por isso iria matar o filho do casal, que foi o que ela fez logo em seguida. O bebê foi morto por sufocamento e, logo após o #Crime, a mãe tirou a própria vida, usando uma arma de fogo.

Publicidade
Publicidade

O crime ocorreu em Shrewsbury Township, uma pequena cidade americana na Pennsylvania nesta segunda-feira (26), e chocou a todos pois ninguém acreditava que a carta se tratava realmente de uma confissão do crime que ela iria cometer em seguida.

Segundo seu depoimento na carta, ela teria sido motivada a fazer essa atrocidade pois o marido não era um pai presente, e por isso não merecia ter um filho e não o veria novamente.

No momento em que a postagem foi publicada em uma rede social, muitas pessoas acreditavam que isso era apenas uma brincadeira, pois não imaginavam que alguém pudesse praticar um ato tão repudiante. Quem seria capaz de matar o próprio filho, se matar e antes do ato ainda compartilhar isso com amigos na internet? No entanto, um amigo próximo achou a atitude da mulher muito suspeita e logo correu para ligar para a polícia, mas era tarde demais.

Publicidade

Ao chegar ao local do acontecido, que seria a casa da senhora, ela já havia matado o seu bebê e se suicidado.

O marido da mulher e pai da criança que tinha apenas um ano e três meses está inconsolável e não quis fazer nenhuma declaração a respeito do que aconteceu, mas terá que dar depoimento à polícia, assim como provavelmente alguns familiares e pessoas próximas terão que fazer.

O caso está sendo investigado pela polícia e, infelizmente, não há mais nada que se possa fazer. #assassinato #Casos de polícia