Darren Byrne, de 40 anos, foi considerado culpado pelo tribunal de Chelmsford, na Inglaterra, pela morte da esposa, Maria Byrne, de 35 anos. A mulher descobriu que o #Marido a estava traindo, quando encontrou uma mensagem da amante, em um celular secreto que ele tinha. Por essa não ter sido a primeira vez que ele a estava traindo, ela resolveu confrontar o marido e começou uma briga. Revoltado porque a mãe dos seus dois filhos o tinha flagrado, ele queimou a esposa viva, tentando que tudo ficasse parecendo um acidente na cozinha.

O crime é chocante e tem como único motivo, Maria o ter confrontado com essa #traição. De acordo com o que ficou descrito no tribunal, Darren deu uma pancada forte na mulher, que a poderia ter deixado inconsciente, e depois a regou com aguarrás, antes de atear o lume nela, tentando que as chamas deflagrassem por toda a casa, para que a polícia acreditasse que tinha sido um acidente doméstico.

Publicidade
Publicidade

Porém, ele não conseguiu destruir a casa, e as provas apontavam todas contra ele.

Inicialmente, Darren ainda contou que ele tinha saído de casa para passear os cães e que a esposa tinha ficado na cozinha, fazendo um sanduíche tostado para ele. Quando chegou, já encontrava a esposa morta e queimada, no chão da cozinha, momento em que ligou para as emergências.

Os dois filhos do casal não estavam em casa, quando isso aconteceu, mas não foi difícil para a investigação perceber que a história de Darren não batia certo. Por exemplo, as câmeras de segurança mostravam que ele tinha saído para passear os cães uma hora antes do que ele falou, uma mentira que deixou logo os investigadores alertados. Depois, acabaram por perceber que ela tinha levado uma pancada e que tinha sido regada por aguarrás, e tudo apontou para o marido, como suspeito nesse crime.

Publicidade

Condenado por 11 dos 12 jurados, no tribunal, o homem vai receber uma pena pesada de cadeia, ainda durante esta semana.

Linda Biggs, a mãe de Maria, está revoltada com o que aconteceu com a sua filha. "Há oito anos, confiamos a Maria, a coisa mais preciosa que tivemos a Darren Byrne. Nós o amamos e o tratamos como nosso próprio filho. E essa pessoa, em vez de amá-la e protegê-la, tirou sua vida da maneira mais degradante", revelou, emocionada, a mãe da vítima. #Casamento