Não é de hoje que o governo da Grécia, cidadãos gregos e simpatizantes da cultura helênica em todo o mundo lutam para reaver ou trazer de volta à Grécia as maravilhas de suas obras arquitetônicas produzidas durantes os séculos do seu apogeu cultural, político e militar. O caso mais clássico foi o roubo dos mármores do Parthenon por Lord Elgin da Grã-Bretanha durante a terrível ocupação turca nos Bálcãs, conforme bem relata a história secular. Aliás, não foram só os ingleses que promoveram o espólio das obras gregas, os alemães, norte-americanos, franceses, entre outros, também tiveram a sua participação negativa nesse processo de “encampamento cultural” negativo da Grécia.

Publicidade
Publicidade

E por falar em franceses, a famosíssima estátua da Vênus de Milo que se encontra em Paris, capital da França, mais especificamente no Museu do Louvre, por quase 200 anos é o objeto de discussão da vez entre as autoridades da Grécia e da França.

A linda estátua grega conhecida na Grécia como a Afrodite ou Vênus de Milo, foi descoberta por um humilde agricultor na ilha grega de Milos no Mar Mediterrâneo. A revelação da Vênus de Milo só foi possível porque o homem resolveu na ocasião, reformar as paredes das instalações na sua propriedade e encontrou a estátua camuflada na obra. Na seqüência, a Afrodite foi vendida para um oficial da Marinha da França, onde posteriormente serviu como um presente ao rei francês Louis XVII. Por fim, o destino da estátua grega foi permanecer no internacionalmente respeitado Museu do Louvre em Paris, se transformando rapidamente em uma das peças mais importantes em exposição de todo o Museu.

Publicidade

O periódico ‘The Times” dos EUA publicou que como o aniversário de 200 anos está prestes a acontecer, a autoridade grega, Gerasimos Damoulakis, que é o atual prefeito da ilha de Milos, vem participando e conclamando ativamente os gregos com manifestações para que a jóia da arquitetura grega retorne para o local do seu “nascimento”.

Na última sexta-feira, dia 2 de dezembro, Damoulakis falou que os “tesouros da nossa ilha foram saqueados ao longo do tempo e estamos finalmente prontos para lutar e recuperá-los. O prefeito revelou também que a ilha está prestes a realizar um pedido formal à França para que depois de quase dois séculos, a estátua da deusa grega Afrodite retorne para Milos, que é o verdadeiro lar dela. Será entregue também à UE - União Européia um abaixo assinado para tal, contendo mais de 1 milhão de assinaturas.

A autoridade insular da Grécia reiterou que o “o pedido em si não é novo. Não há um grego lá fora que ainda não se perguntou porque a melhor peça da antiguidade da Grécia está na França, ao invés do seu real seu local de nascimento." Que a grega Afrodite ou Vênus de Milo retorne logo para a Grécia, sua casa, que é de onde nunca deveria ter saído! #Polêmica #Curiosidade #Europa