Na manhã desta terça-feira (20), uma declaração do delegado de polícia que investiga a tragédia que aconteceu ontem em Berlim, colocou em cheque a autoria do #Crime. Para o policial ainda não é possível afirmar com certeza que o paquistanês, de 23 anos, seria o responsável por ceifar a vida de mais de dez pessoas dentro do mercado de natal. Ainda não se sabe se foi ele que sequestrou o caminhão polonês quatro horas antes de causar os atropelamentos. O homem não está mais detido e em depoimento aos investigadores negou veementemente a participação no atentando. A tragédia aconteceu na noite de ontem em um dos mercados de rua mais populares na capital Alemã.

Publicidade
Publicidade

Essa época do ano é marcada por diversos eventos como esse em toda cidade, e o local estava cheio, inclusive muitas famílias passeavam com seus filhos no momento do ocorrido. Ao todo doze pessoas acabaram mortas e quarenta e oito ficaram feridas. O chefe de polícia Klaus Kant disse à imprensa alemã que estão todos alerta, mas que não se pode tirar conclusões precipitadas, assim como o ministro Thomas de Maizière que também alertou que as investigações ainda não estão fechadas.

Ao que tudo indica o homem detido teria chegado à Alemanha no final do ano do ano passado, e estaria no local do ocorrido minutos após o atentado. Ele teria sido perseguido por uma testemunha por cerca de 2km, e ela declarou a polícia ter visto o suspeito perto do caminhão. No entanto, é impossível até o momento afirmar que a alegação seja verdadeira.

Publicidade

O governo confirmou que se tratou, sim, de um ato terrorista e descartou qualquer outra possibilidade como a de acidente, por exemplo. Nenhuma organização terrorista reivindicou o ataque como sendo seu até o presente momento. A primeira ministra Alemã também deu depoimento à imprensa e disse que diante das circunstâncias também acredita que se tratou de terrorismo. No entanto, se mostrou bastante consternada ao aventar a possibilidade de que seria um migrante que teria recebido asilo no país, o autor do crime. Para a chanceler se a história se confirmar será uma tristeza para o país, que é um dos mais liberais no que diz respeito a entrada de imigrantes. Merkel inclusive recebeu duras críticas de seus adversários, segundo eles, o sangue dessas mortes estão nas mãos dela, devido à sua política liberal.

#Investigação Criminal