Duas policiais foram fotografadas dando um beijão na boca e logo a imagem ganhou as redes sociais e se tornou viral.

De acordo com o portal de notícias online O Globo, as duas cadetes da Polícia Metropolitana de Buenos Aires, capital da Argentina, foram expulsas da corporação, depois que uma foto das mulheres se beijando uniformizadas, foi compartilhada milhares de vezes nas redes sociais, daquele país.

Beijo na boca

As duas policias foram identificadas como Brenda Del Hoyo e Carolina Gutiérrez, elas são as protagonistas de um beijão na boca, ainda fardadas. A foto das mulheres trocando um beijo acabou se tronando viral e as policiais acabaram sendo expulsas da academia de polícia.

Publicidade
Publicidade

Na imagem elas aparecem bem a vontade uma sentada no colo da outra e ao que parece elas estavam nos corredores da academia de polícia.

De acordo com as duas oficiais elas se beijaram para comemorar a recente formatura delas como cadetes da força policial da capital da Argentina. Elas afirmam que a foto foi tirada para ser enviada apenas para um amigo em comum, contudo, relatam não saber como nem quem compartilhou a imagem nas redes sociais.

Preconceito e constrangimento

As mulheres assumiram que são amantes e se disseram constrangidas pela proibição de participarem da formatura da turma de cadetes, informou o site "El Intrangisente".

Em nota a corporação informou que as duas cadetes foram convidadas a deixar a força policial pois é expressamente proibido aos oficiais tirarem fotos fardados e posta-las em qualquer rede social.

Publicidade

Ainda segundo a corporação a orientação sexual não foi o motivo da expulsão das policiais.

As jovens afirmaram que vão recorrer da decisão e que acreditam que o motivo de terem sido expulsas da força policial foi mesmo por preconceito.

O beijo do casal vem chamando atenção de muitas pessoas na Argentina e as opiniões estão dividas, enquanto alguns se dizem horrizados com a atitude das policiais, outras pessoas defendem o direito das mulheres assumirem seus cargos. Tudo indica que esse caso ainda vai dar muito 'pano pra manga'. #Casos de polícia #Homofobia #Relacionamento