Vladimir #Putin, presidente da Rússia, entendeu como uma "provocação" o assassinato do embaixador russo na Turquia, Andrei Karlov, morto nesta segunda-feira por um membro da polícia turca identificado como Mevlut #Altintas. O crime ocorreu quando Karlov fazia um discurso durante uma exposição em uma galeria de arte em Ancara, capital turca.

"Sem dúvida, esse crime é como uma provocação destinada a desestabilizar a relação entre Rússia e Turquia e ao mesmo tempo atacar o processo de paz na Síria", resumiu Putin, que se reuniu com o seu ministro das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, horas depois da confirmação do ataque.

Publicidade
Publicidade

O presidente russo aproveitou o "gancho" do crime contra o seu embaixador para ameaçar os terroristas. Ele também destacou que a busca pela paz na Síria é apoiada por vários países como a própria Rússia, Turquia e Irã.

"Daremos como resposta a este assassinato um reforço na batalha contra o terrorismo. Os bandidos sentirão isso na própria pele", garantiu o presidente russo.

Segundo um fotógrafo que registrou todo o ataque, Altintas gritou palavras de ordem e de apoio à Síria após disparar cinco vezes contra Karlov. Ele dizia: "Não se esqueçam de Aleppo! Suas casas jamais ficarão seguras enquanto nossas cidades não tiverem segurança". O atirador foi morto pela polícia minutos depois. #Russia