Estudantes do 9° ano de uma escola primária da Dinamarca realizaram um estudo que está gerando muita polêmica na comunidade científica internacional. A pesquisa começou depois que os estudantes começaram a perceber que, se dormissem com os aparelhos #celulares próximos às suas cabeças, no dia seguinte apresentavam certas dificuldades de concentração nas aulas.

Foi então que eles resolveram pesquisar os efeitos da #Radiação nas pessoas. Mas, como a escola Hjallerup Skole não possuía nenhum equipamento específico para realizar o teste, os estudantes decidiram testar os efeitos da radiação em #plantas.

A pesquisa foi realizada em seis bandejas completas com agrião, que foram colocadas em uma sala sem radiação.

Publicidade
Publicidade

Já, em outra sala ao lado, foram instalados dois roteadores de wireless.

De acordo com pesquisa, esse tipo de radiação pode se prolongar no decorrer de uma direção radial, a partir das ondas de oscilação.

Os especialistas explicam que o campo elétrico oscila em uma região perpendicular do campo magnético, onde a radiação eletromagnética acaba se propagando, desde ondas ocasionadas por procedimentos naturais, como ondas do rádio, raio X, entre outras. Na maioria das vezes, todas estas ondas possuem características especiais e são representadas por oscilações relacionadas pelos campos elétrico e magnético.

Depois de 12 dias consecutivos, ficou evidente que as sementes de agrião expostas à radiação dos roteadores não haviam se desenvolvido e acabaram mortas. Enquanto isso, na sala ao lado, as sementes de agrião plantadas longe da radiação acabaram germinando normalmente.

Publicidade

Após a experiência, os estudantes receberam medalhas de honra ao mérito, durante uma competição nacional de Ciências. A divulgação da pesquisa atraiu a atenção de pesquisadores de todo o mundo.

De acordo com Kim Horsevad, professor da Hjallerup Skole, o estudo com os agriões teve a participação do professor de neurociência do Instituto Karolinska, que atua na Suécia. Segundo informações, o profissional está muito interessado em refazer o estudo em laboratórios científicos. Os pesquisadores acreditam que o estudo ainda vai dar muito o que falar.