Lamentavelmente, a Turquia tem pago um preço muito alto pelas suas arbitrariedades históricas em geral ao longo dos milênios. Exemplos ruins não faltam da prepotência do governo turco em praticar uma política expansionista doa a quem doer, mesmo que os prejudicados na maior parte das ocasiões, sejam pessoas inocentes. Desde os primórdios do Império Otomano, a Europa sofre com a horda das invasões cruéis perpetradas pelo povo que hoje restou da potência muçulmana, a saber, os turcos.

Em datas mais recentes, os governantes da Turquia implementaram a política do genocídio armênio, matando milhões de pessoas dessa nacionalidade; massacraram conscientemente populações inteiras de colônias gregas próximas ao Mar Negro; brigam por fronteiras territoriais e aéreas, além das invasões da Ilha de Chipre, Síria, Iraque; #assassinato massivo do povo curdo e até mesmo com os poderosos russos, os turcos se atreveram a criar problemas, tanto que em novembro de 2015, a Força Aérea da Turquia abateu um caça russo S-24 no espaço aéreo sírio.

Publicidade
Publicidade

Por outro lado, não é incomum que vez ou outra, inimigos milenares conquistados pela Turquia, pratiquem algum atentado “terrorista” (especialistas em diplomacia #Internacional indagam de fato sobre quem são os verdadeiros terroristas, se o Governo de Ankara ou os povos oprimidos) como o que aconteceu hoje, dia 17 de novembro, sábado, na cidade turca de nome Kayseri. Conforme informações ditas por Binali Yildirim, um homem-bomba foi o responsável por uma explosão de forte impacto que abalou aquele ponto do país.

Pouco tempo antes o Estado-Maior da Turquia já havia dito que o ataque em si foi direcionado especificamente para os militares da região, pois o automóvel do suicida explodiu bem próximo do ônibus que realizava o transporte de soldados do Exército, o que provocou a morte de 13 militares até o presente momento e mais 55 pessoas ficaram feridas.

Publicidade

O controverso e não muito confiável Recep Tayyip Erdogan, presidente turco, falou publicamente que os autores do atentado fazem parte do PKK - Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), organização essa que é proibida e ainda considerada como uma célula terrorista na Turquia.

No comunicado de Erdogan estava escrito o seguinte: “A organização terrorista separatista [PKK] é responsável pelo ataque. Ela usa todas as oportunidades. Este atentado teve a ver com os acontecimentos na Síria e no Iraque. A Turquia é alvo de ataques por parte de vários agrupamentos terroristas".

Erdogan só se esqueceu de dizer que a Turquia não permite a diversidade de ideias e o Estado democrático de direito em função da multidiversidade cultural encontrada no seu território, tanto que não faz muito tempo, empreendeu uma política interna de prisões e assassinatos de professores, alunos universitários e civis como um todo de origem curda.

A título de informação Kayseri está situada na província da Anatólia Central próxima da Capadócia, sendo caracterizada pela intensa atividade industrial, mesclando o ar de modernidade com o sempre presente conservadorismo provinciano, tanto que é o baluarte do partido de ultra-direita turco conhecido como Partido de Ação Nacionalista.

Publicidade

Agora é só aguardar as cenas dos próximos capítulos, pois certamente tanto de um lado quando do outro, vem mais confusão e mortes pela frente. #Terrorismo