As autoridades da Turquia detiveram seis pessoas após o atentado de um atirador que matou o embaixador da Rússia nesta segunda-feira, dia 19. O crime ocorreu em uma galeria de arte em Ancara, capital da Turquia, enquanto o embaixador Andrei Karlov discursava.

O diplomata foi alvejado pelas costas pelo policial Mevlut Mert Altintas, de 22 anos, que após o atentado gritou frases como “não se esqueçam de Aleppo”, em referência à situação de guerra civil vivenciada na capital da Síria.

Entre os detidos estão a mãe, pai, irmã e dois outros parentes de Altintas, assim como seu ex-colega de apartamento. As autoridades investigam as motivações do criminoso – que foi morto no local após o atentado – e possíveis ligações com grupos extremistas.

Publicidade
Publicidade

A galeria onde o atentado ocorreu fica próxima ao prédio que abriga a embaixada dos Estados Unidos em Ancara. Ainda na madrugada de segunda para terça, dia 20, disparos foram ouvidos em frente ao local, mas não houve feridos. Um homem foi detido acusar de disparar para o alto com uma arma de fogo.

Após o incidente, os governos de Turquia e Rússia reafirmaram a necessidade de investigar o ocorrido e de não permitir que o atentado influencie na relação entre os dois países, que tem se estabilizado após recentes tensões nos últimos anos. #Russia #Terrorismo #Europa