Embora o futebol seja um esporte onde o desempenho dos atletas é decisivo para o time sair vitorioso, em Ruanda, na África, jogadores costumam praticar feitiçaria com objetivo de alcançar resultados positivos.

Agora, dirigentes de torneios futebolísticos proibiram a feitiçaria, sob alegação de que a prática tem tumultuado os jogos.

De acordo com informações do periódico britânico Daily Mirror, de quarta-feira (28), um vídeo bizarro, entre as equipes de Rwandan Premier League Mukura Victory e Rayon Sports, mostra o momento em que um atleta realiza uma ‘macumba’ no canto inferior direito da trave.

Na ocasião, o atacante Rayon Moussa Camara, cuja equipe perdia de 1 a 0, após colocar um pequeno objeto na trave do goleiro adversário, é perseguido pelo jogador do outro time, além de ser punido com cartão amarelo - pela cômica prática de bruxaria durante jogo de futebol.

Publicidade
Publicidade

Porém, tudo indica que a suposta 'mandinga' gerou resultado, pois após voltar para o segundo tempo, o time do atacante macumbeiro empatou o jogo, com um belo gol de encobrimento a longa distância (veja o vídeo).

Todavia, o órgão responsável por gerir o torneio de Ruanda, aprovou resolução em que multa no valor equivalente a 99 euros, qualquer jogador flagrado em atos de bruxaria em campo.

Além dos atletas, se os clubes também estiverem envolvidos na prática, serão punidos com a perda de três pontos no campeonato, mais multa no valor de 2,890 euros (2,9 milhões de RWF).

Em declaração à imprensa, Vedaste Kayiranga, vice-presidente da Federação da Associação de Futebol de Ruanda (FERWAFA), destaca que a proibição de rituais místicos em campo ocorre devido à violência entre os jogadores, que brigam toda vez que isso acontece.

Publicidade

Porém, ele enfatiza que antes não havia proibição à magia, pelo simples fato de não haver provas de que esses rituais realmente funcionem.

“Nos estatutos da FERWAFA não temos nenhuma lei que puna o uso da feitiçaria, porque não há lugar no mundo onde se provou que possa influenciar o resultado de um jogo. No entanto, com a violência entre os jogadores por causa de alegações de que uma equipe está usando, decidimos promulgar leis", explica Kayiranga.

Indiferente à 'macumba', o jogo terminou empatado em 1 a 1. #Curiosidades #Viral #Internet