Uma empresa que vende #Camas e beliches para #Bebês e crianças está sendo investigada pela polícia. Alegadamente, o dono da empresa até já teria sido detido para interrogatório. Tudo isso vem no seguimento de uma morte trágica de um bebê de sete meses, e que a culpa poderia ser da cama e, por consequência, de quem a vendeu. Por culpa de toda essa polêmica, são vários os #pais que já tiraram os seus filhos das camas, temendo por sua segurança.

Bebê de sete meses morre na cama

Uma bebê de sete meses morreu em um acidente em uma cama da Playtime Beds. A criança era de York, na Inglaterra, mas não estão sendo reveladas informações nem sobre a menina nem sobre sua família.

Publicidade
Publicidade

Também se desconhece como é que a bebê morreu e que acidente foi esse que ela sofreu.

Logo após esse trágico acidente, estão surgindo algumas declarações de que essa cama não seria nada segura e que poderiam ser várias as falhas existentes, nomeadamente o risco de esmagamento no beliche inferior. O alerta de segurança lista os riscos de "asfixia ou estrangulamento, queda, aprisionamento ou esmagamento". Também as ripas dessa cama seriam perigosas e, caso a criança colocasse lá a cabeça, arriscava o estrangulamento.

A cama da bebê que perdeu a vida seria um beliche de princesas, também vendidos junto com casa de bonecas. Essa cama fez sucesso no Reino Unido, e estavam sendo vendidas desde 2011. O preço das camas variava entre os 400 e os 800 dólares. Porém, as vendas foram canceladas logo após a morte dessa menina.

Publicidade

Pais pedem soluções

Enquanto que a polícia está investigando esse caso, tendo já interrogado, ao que tudo indica, aquele que é o proprietário da Playtime Beds, os pais estão já se precavendo. Em uma página de Facebook, são muitos os que estão compartilhando os seus medos e indicando que seus filhos não passaram a noite de Natal, nas camas da marca, mas sim em outros locais adaptados, que os pais estão considerando mais seguros.

Uma mãe falou mesmo em jogar a cama no lixo e que não vai mais colocar lá o seu filho, mas gostava de ser ressarcida do prejuízo, e são vários os pais que pretendem devolver essas camas e terem seu dinheiro de volta.