Desde as constantes atuações do Estado Islâmico (ISIS) e de outras facções terroristas, a partir de 2011, grupos extremistas como a Al-Qaeda, fundada e comandada pelo falecido Osama Bin Laden, deixaram de representar perigo ao Ocidente.

Mais radicais e crueis, extremistas do ISIS e companhia, usam métodos estarrecedores para alcançar seus objetivos de destruir o Ocidente.

Além de crucificar e queimar cristãos na Síria e no Iraque, de estuprar mulheres indefesas e de raptar crianças com a finalidade de torná-las soldados operantes, radicais islâmicos, agora usam menores de idade para se explodirem em determinados locais.

Um exemplo dessa ‘demoníaca’ estratégia foi divulgado na quarta-feira (21), por meio de um vídeo na internet.

Publicidade
Publicidade

De acordo com informações dos jornais britânicos Daily Star, Mirror e Daily Mail, as imagens, inicialmente exibidas nas redes sociais, mostram duas crianças com idades estimadas em sete e nove anos.

Na ocasião, antes de cometerem suicídio, elas estão numa sala diminuta. As menores se despedem da mãe, uma militante trajada com a característica vestimenta das mulheres afegãs: a burca.

Logo após a mulher conversar com as duas garotas, o pai - um terrorista fanático - conclui a lavagem cerebral, ao instigar as irmãs a se matarem em nome da causa.

Ao mesmo tempo, o cinegrafista que grava a cena, pergunta à mulher por que ela está a enviar suas filhas para morte, sendo que elas são tão jovens. "Ninguém é jovem quando se trata de jihad”, responde.

Conforme o jornalista Alex Hickson (Daily Star), o militante barbudo, visto a falar com as garotas, reforça que elas não precisam temer a morte, pois o paraíso está à espera.

Publicidade

“Você não vai ter medo, porque você está indo para o Céu, certo?", diz o pai das garotas.

Uma hora depois das menores saírem da sala, houve relatos da explosão de uma delegacia em Damasco, capital da Síria, na sexta-feira (16).

Embora as informações com relação ao autor do atentado sejam desencontradas, o Daily Star, o Mirror e o Daily Mail, ressaltam que a criança de sete anos entrou no local pedindo para usar o banheiro.

No interior da delegacia ela se explodiu, matando três policiais. Por enquanto, não há notícias sobre o que aconteceu com a garota de nove anos.

Mesmo que nenhum grupo terrorista tenha admitido o atentado, até o momento, o Mirror acentua que a imprensa síria acredita que o pai das jovens é um membro do grupo extremista Jabhat Fateh al-Sham.

No entanto, a hipótese do Estado Islâmico ter orquestrado o crime, também não está descartada.

Na galeria de fotos, veja imagens das garotas e da delegacia destruída após a explosão.

#Mídia #Curiosidades #Terrorismo