A jovem desapareceu na madrugada do dia 14 de janeiro, ela foi vista pela última vez andando pelas ruas por volta das 5h. Uma operação recorde foi montada para achar a jovem, e mobilizou todo país, que tem um número de assassinato em torno de 2 mortes por ano.

O corpo da jovem foi encontrado uma semana depois, no domingo (22), em uma praia ao sul da capital de Reykjavík, as autoridades islandesas trabalham como #Crime de homicídio. E interrogaram dois pescadores da Groelândia que seriam os principais suspeitos.

Birna Brjansdottir tinha 20 anos, e foi assassinada após sair de um bar na madrugada do sábado (14). Câmeras de segurança registraram o momento em que a jovem aparece andando na rua, antes ser assassinada.

Publicidade
Publicidade

Nas imagens também mostram um carro vermelho que estava próximo do último local onde a jovem foi vista com vida. O veículo depois apareceu estacionado próximo ao navio dos pescadores, por volta das 06h30min.

Seus sapatos também foram encontrados em uma doca próximos onde o barco da Groelândia estava atracado. Dentro do veículo alugado pelos marinheiros groenlandeses, que tem 25 e 30 anos, tinham vestígios de sangue da jovem desaparecida.

Quando a polícia encontrou o corpo da jovem, retornou até o barco dos pescadores que já havia zarpado. A polícia seguiu os dois de helicóptero e os obrigou a voltar. Os dois suspeitos foram presos.

As causas da morte de Birna ainda não foram divulgadas, porém o crime chocou o país que tem o índice de homicídios mais baixo do mundo, e a maioria deles foram cometidos por pessoas sobre efeito de alguma droga, ou possuía algum problema mental, e após alguma briga violenta.

Publicidade

O crime da jovem de 20 anos, é considerado raríssimo no país. Desde o ano de 2001 a Islândia registra uma média 1,8 assassinatos ao ano, e ainda teve a exceção nos anos de 2003,2006 e 2008, onde nenhum assassinado foi registrado.

Quando a jovem desapareceu foi montado a maior operação de busca já feita na história do país. Segundo a imprensa local, cerca de 730 voluntários estiveram engajados á procurar Birna. A ilha tem cerca de 330 mil habitantes, é considerado o pais mais pacífico do mundo, reconhecido por órgão de pesquisas pela paz.

A escritora islandesa Yrsa Sigurdardottir informou em entrevista a BBC que a população esperava encontra-la com vida. A escritora informou que não é costume da população andar com facas e armas, que até alguns policias não andam em posse de armas letais.

#Casos de polícia