Embora a administração de Barack Obama e as demais agências de inteligência dos Estados Unidos, como CIA, FBI e Agência de Segurança Nacional (NSA), afirmem terem provas de que hackers russos, supostamente a mando do Kremlin, roubaram informações particulares da candidata à presidência Hillary Clinton, prejudicando a democrata no pleito presidencial, Julian Assange, fundador do site Wikileaks, responsável por divulgar as informações subtraídas, afirma que os documentos obtidos não vieram dos russos.

Numa entrevista exclusiva ao repórter da Fox News (Estados Unidos), Sean Hannity, nesta terça-feira (3), Assange, natural da Austrália, exilado na embaixada do Equador na Inglaterra há cinco anos, alega que as afirmações são feitas com objetivo de “deslegitimar” Donald Trump, que assume o cargo em 20 de janeiro.

Publicidade
Publicidade

Conforme o jornalista, na primeira parte da entrevista, que será exibida às 22h de hoje, na FOX News, o fundador do Wikileaks assegura que os e-mails captados pela organização pirata não vieram da Rússia, como acusa o governo Obama.

“Temos dito, repetidamente que nos últimos dois meses que a nossa fonte não é o governo russo e não é um partido do Estado", afirma Assange.

Durante a campanha presidencial de 2016, mais de 50 mil e-mails foram expostos ao público por meio do site Wikileaks.

Neles, conteúdos relacionados a práticas duvidosas da Fundação Clinton, além de jornalistas, funcionários de periódicos influentes no país, trabalhando em prol da campanha de Clinton, também foram descobertos, tendo, supostamente, influenciado no resultado negativo da campanha de Hillary, a poucos dias das eleições.

Publicidade

Assange também revela ter estranhado o fato de nem o FBI ou a Casa Branca terem citado o Wikileaks como precursor das revelações dos documentos secretos.

Ele demonstra espanto com a determinação do atual governo em apontar os russos como culpados. "É muito estranho", comenta.

“Agindo como um advogado”

Indagado pelo jornalista da Fox News se ele acredita que Obama está mentindo para a população sobre as ações da Rússia, Julian Assange alega que o presidente está “agindo como um advogado”.

O hacker enfatiza achar curioso o fato de na maioria das declarações de Obama, ele não mencionar que o Wikileaks obteve informações da Rússia, sendo que o site protagonizou o escândalo dos documentos confidenciais.

“Eles estão tentando dizer que o presidente eleito Trump não é um presidente legítimo", conclui.

Tudo indica que na entrevista de hoje a noite, novas revelações surgirão. Porém, é no mínimo curioso somente dados particulares de Hillary serem expostos ao público, sendo que Trump é o único presidente dos #EUA a esconder informações sobre o imposto de renda.

#Mídia #Curiosidades