Nesta sexta-feira (06), Michelle Obama disse adeus aos americanos com uma mensagem dirigida aos jovens na qual ela pediu-lhes para não temer o futuro e defender os valores da diversidade. "Essa é a mensagem de esperança que os políticos devem compartilhar", disse a primeira-dama, visivelmente emocionada. Pouco antes de deixar a sala com lágrimas nos olhos, agradeceu por ter tido "a grande honra" de servir aos cidadãos nestes últimos oito anos.

"A diversidade não é uma ameaça, é o que somos", disse a primeira-dama na Casa Branca: "Se seus pais ou você são imigrantes, sei que você é parte da mesma tradição que fez este país tão grande".

Publicidade
Publicidade

Michelle Obama disse o mesmo para aqueles que tentam romper com a pobreza ou que são pertencentes às minorias raciais e religiosas: "Nunca deixe ninguém fazer você acreditar que você não tem um lugar em nossa história."

A primeira dama celebrou, em Washington, as conquistas de seus programas para aumentar o número de alunos que entram na faculdade e pós-graduação nas instituições em todo o país. Como de costume, dispensando mensagens, deu algumas dicas para um futuro marcado pela incerteza da presidência de Donald Trump. "Não tenham medo, mantenham o foco, determinem, tenham esperança", disse ela. "Lembre-se de que nenhum dos seus direitos veio do nada, você deve fazer todo o possível para proteger o que você herdou".

Michelle Obama não deixou de repetir durante seus oito anos como primeira-dama que "a educação é a chave para o sucesso" e reiterou nesta sexta-feira, mais uma vez durante o seu último evento público em Washington, antes de seu marido deixar o cargo.

Publicidade

Michelle Obama tem alternado sua versão de "mãe e chefe" na Casa Branca com aparições em shows de comédia e várias campanhas para uma alimentação saudável nas escolas, igualdade de oportunidades para todos, saúde de qualidade para jovens ou veteranos de guerra. Em gestos recentes, cumpriu o seu papel tradicional de primeira-dama. Uma profissional disposta a construir uma imagem autêntica, sem precedentes nos Estados Unidos.

O resultado mais claro deste trabalho foi em outubro passado. Michelle Obama tinha discursado durante as duas campanhas presidenciais de seu marido. Em 2016 foi diferente. A publicação de um vídeo do candidato republicano em conversa sexista a inspirou para fazer a campanha para Hillary Clinton. "Eu não consigo parar de pensar nisso", ela disse ao público. A primeira-dama não escondeu que foi afetada pelas palavras de Trump e seu discurso marcou um antes e depois na corrida presidencial.

Durante os primeiros anos da carreira #Política do marido, Michelle nunca escondeu sua opinião sobre política, mas quando ele chegou à Casa Branca havia adotado uma postura mais contida.

Publicidade

Ela estava ciente de que a sua posição era a serviço de todos os americanos, mas ao longo dos anos, foi se entregando mais. Duas semanas atrás, falou abertamente que o casal sempre teve grande apoio em Washington e do racismo que eles enfrentaram na vitória histórica de Obama em 2008.

"Quando você vir dificuldades e parar para pensar, lembre-se de algo que ajudou a Barack e mim durante todos estes anos" disse uma Michelle Obama visivelmente emocionada nos últimos momentos de seu discurso: "Acreditem no poder da esperança" - recordando o slogan da esperança que inspirou a campanha do democrata. "Isso é o que nos ajudou a superar todas as palavras de divisão, raiva e medo que temos enfrentado em nossas próprias vidas".

Ela prometeu continuar a defender os interesses das futuras gerações de americanos. Com lágrimas nos olhos, Michelle Obama disse adeus à Casa Branca com um "obrigado" e um desejo: "Eu espero que vocês estejam orgulhosos de mim." #Mundo #EUA