Shia LaBeouf, astro mundialmente conhecido pelo sucesso do filme Transformers, está usando a tecnologia para protestar contra o presidente Donald Trump. E o protesto não se trata de algo simples e pontual. O ator pretende passar os próximos quatro anos à frente de um projeto de transmissão ao vivo anti-Trump!

Em uma parceria com o Museu da Imagem em Movimento de Nova York, o ator lançou o projeto de transmissão, ao vivo, chamado ‘He will not divide us’ (Ele não irá nos dividir, em tradução livre).

O projeto de LaBeouf consiste em uma webcam colocada em uma parede externa do Museu da Imagem em Movimento de Nova York, onde as pessoas são convidadas a gritar "ele não vai nos dividir".

Publicidade
Publicidade

As imagens são transmitidas ao vivo e de acordo com o site a transmissão estará online 24 horas por dia, sete dias por semana, durante os quatro anos #Donald Trump na Casa Branca! O projeto teve inicio no dia 20 de janeiro, mesma data em que Trump tomou posse como presidente dos #Estados Unidos.

O lançamento da ação contou com grande repercussão em Nova York, e até o momento, muitas pessoas já passaram pelo local e deixaram seu recado para o presidente. Além de dizerem a palavras que são o lema do projeto, tem gente aproveitando para cantar, dançar, tirar selfies, declamar poemas, protestar sobre outras coisas e muito mais. Você pode acompanhar a transmissão pelo site Hewillnotdivide.us.

Um mantra contra Donald Trump

Ainda de acordo com Shia LaBeouf, o principal objetivo de seu ambicioso projeto é transformar a frase ‘He will not divide us’ em um mantra, como uma demonstração de resistência, oposição e otimismo.

Publicidade

Além disso, os participantes podem dizer a frase quantas vezes quiserem, pelo tempo que quiserem.

O primeiro a participar da ação foi ninguém menos que Jaden Smith, jovem rapper e filho do ator Will Smith. Vale destacar que é notória a oposição da família Smith contra o presidente Donald Trump. O atual presidente americano é considerado por muitos artistas como a pessoa errada para governar o país, já que frequentemente faz declarações homofóbicas, machistas e que incitam a violência a discriminação.

#Política